2 de dezembro de 2008

Dona de casa desesperada... lol

28 de novembro de 2008

O cúmulo da distracção... II

Gosto taaanto e estou tãaaao habituada a usar usar guarda-chuva que, para além de os perder a todos, hoje, depois de chegar à estação, só me lembrei que tinha de o fechar quando não consegui entrar no elevador!!

Que vergonha...

26 de novembro de 2008

Hoje, ao voltar para casa...

...entrou no comboio um grupo de deficientes mentais adultos. Vinham de um passeio, acompanhados por duas responsáveis que dirigiam o grupo, uma à frente e outra atrás, para ninguém se perder. Eram aí uns 10 e 3 deles sentaram-se nos lugares vazios à minha volta. Não se passou nada de especial durante a viagem... limitei-me a sorrir e a observar a forma como interagiam uns com os outros, como se fossem crianças...

No final, quando chegaram à estação em que saíam, o senhor que estava sentado à minha frente, já de idade, levantou-se e disse-me adeus com a mão. Depois pensou melhor, voltou para trás e veio dar-me um beijinho na cara.

Deve ser muito gratificante, trabalhar com estas pessoas... :)

24 de novembro de 2008

Finalmente...

...consegui fazer com que os meus e-mails do Hotmail fossem cair direitinhos à minha conta Gmail. Eles são teimosos, mas eu sou mais.

Fartei-me de procurar forma de o fazer no Google (e pelos vistos não era a única a perguntar), mas não encontrava nenhuma solução eficaz (e de borla!)... até que descobri que afinal até dá, desde que se crie uma conta Windows Live Id com o e-mail do gmail e se associe à do hotmail. Depois é só ir às opções e ele já permite o encaminhamento automático! :)

Pronto... achei que devia partilhar a "vitória". É que ainda estive algumas horas nisto.

21 de novembro de 2008

Quando me casar...

...vou querer uma sessão Trash the Dress como esta! No bosque, na praia... em todo o lado! E até pode ser com umas all star iguais!! Lindo, lindo, lindo... :)

20 de novembro de 2008

Ainda sobre e-mails...

Ultimamente tenho recebido alguns avisos de contactos de que mudaram o e-mail para um com um ar mais... profissional, digamos. E-mails mais ou menos espalhafatosos são agora trocados por outros só com o primeiro e ultimo nomes, quiçá com algumas iniciais pelo meio.

Não deixa de ser engraçado... agora que estamos (eu e a maior parte das pessoas que conheço) prestes a acabar o curso e a tornar-nos gente grande, certos e-mails já nos começam a soar um tanto ou quanto a teenager... Ou isso ou é o medo de não se ser levado a sério! :)

Sobre o Gmail.

As miúdas gostam é de mariquices e ponto final. E esta tarde, enquanto eu apreciava os novos temas do meu e-mail Hotmail (que quase não uso), pensava cá para mim "ao Gmail só lhe faltam estes temas catitas". E não é que neste preciso momento (que ainda há bocado lá estive e não tinha nada disto) o Gmail me apareceu tem resmas paletes de coisas giras?!

Fantásticos, estes senhores!


E são todos tão, mas tão, mas tãaaaaoo giros!!! O drama vai ser escolher!
Ok, eu paro.

14 de novembro de 2008

Porto Sentido

Sempre que ouço esta música, as lágrimas vêm-me aos olhos. Sempre que vou a casa, ela ecoa nos meus ouvidos... e nunca teve tanto significado para mim como agora.

Amanhã vou ao Porto. Não volto cá sem ir à baixa, sem me ter passeado mais uma vez pela Ribeira e de ir ao cais de Gaia, só para poder olhar para o lado de cá. Quem não conhece a cidade não sabe as maravilhas que ela tem para o oferecer e o quão nos pode ficar no coração. Não sei o que o futuro me reserva, mas sou e sempre serei do Porto... e em muitas daquelas ruas está um bocadinho de mim.

Estou cá há dois meses e de cada vez que vou a casa, o tempo parece ser sempre mais curto. Amanhã vou matar saudades de tudo e de todos, ainda que seja só por 3 dias.


Música e Letra
Rui Veloso / Carlos Tê

8 de novembro de 2008

Faz hoje dois meses que acordo contigo ao meu lado. E é bom, isto de acordar com os teus miminhos.

AMO
-TE


E eu sei que tu sabes.

31 de outubro de 2008

Para pensar...

Às vezes não nos damos conta da sorte que temos em viver no país em que vivemos. Abrimos a boca para falar e nem nos apercebemos das asneiras que dizemos. É certo que há muita coisa que está mal, mas também há muitas coisas boas às quais não sabemos dar valor.

Nos últimos tempos a minha mãe tem sido internada com alguma frequência devido a infecções hepáticas e renais. Não se sabe porquê e na maior parte das vezes nem se consegue identificar o microrganismo responsável. A maior parte dos antibióticos já não fazem efeito... e ultimamente só conseguem baixar a febre com um todo xpto. Cada dose custa nada menos que 60,86€. Faz hoje 8 dias, a minha mãe teve alta do Hospital e trouxe antibiótico suficiente para 26 dias de tratamento, no Centro de Saúde. Um total de 1582,36€... e não teve que pagar um cêntimo.

Se não fosse o "estado" que tanto criticamos, eu nem quero imaginar...

30 de outubro de 2008

Post de gaja II

Tenho a dizer às meninas que gostam de pintar as unhas...

...que o "Amolece Esmalte de Banana" é das melhores coisinhas que já foram inventadas! Qual acetona, qual quê! Umas gotinhas deste óleo milagroso nos vernizes que vão ficando secos e ficam como novos! Quem descobriu isto devia receber um prémio!

Eu avisei que era mais um post de gaja...

29 de outubro de 2008

É (já) na próxima semana...

...que começo a dar consultas! Há um mês e meio que me limito a assistir e estou mais que ansiosa!! :) Confesso que tenho assim um friozinho na barriga... mas estou optimista.

Pronto, era só para contar... Eu sei que tenho andado desaparecida, mas não tenho tido muitas novidades... Além disso, não sei até que ponto estará alguém desse lado... :P Aos que estão por aí, prometo que vou tentar vir cá mais vezes! :)*

19 de outubro de 2008

Há dias em que estar longe...

...não tem piada nenhuma.

2 de outubro de 2008

Ainda não tinha dito...

...que este problema foi resolvido faz hoje precisamente um mês com 5 "furitos" na barriga (um não levou pontos). A anestesia deixou-me completamente K.O.... agora que me lembro como estava até me rio! Não conseguia manter os olhos abertos por mais que uns minutos... :P Nos primeiros dias as dores custaram um bocadinho mas correu tudo bem e já não tenho aquela coisa gigantesta cá dentro. :)

Para além da mamã e do namorado, que estiveram sempre a fazer companhia (eles a mim, porque eu não fazia companhia a ninguém, só dormia!) as amigas também foram lá dar miminhos...

... e levaram gerberas!

E, claro está... eu não gostei nada, nada, nada! :)

"Sometimes, a hug is all we need..." Juan Mann



Eu sei que a maior parte já viu o filme... mas hoje calhou de o ver outra vez e fiquei assim um bocado sentimentalona... :)

Volta e meia dava por mim no autocarro (agora no comboio...) a pensar que às vezes temos dezenas de pessoas à nossa volta, no mesmo sítio e à mesma hora, cada uma delas com uma vida diferente, com os seus problemas, algumas delas se calhar a pensar em coisas muito más... e para nós... não passam de simples estranhos. Não é esquisito este "estar só, no meio da multidão"?

Acredito que haja por aí muitas pessoas angustiadas que neste momento desejem apenas "um abraço". E é tão bom um abraço apertado quando precisamos...


Aqui... a campanha "Abraços Grátis" também no meu (lindo, maravilhoso, fantástico) Porto. ;)

22 de setembro de 2008

Colbie Caillat

Ela esteve ontem no Coliseu dos Recreios...

... e eu também!!

Foi simplesmente... lindo. Uma cantora cheia de boa disposição, uma série de músicas com um gostinho especial... e a melhor companhia que podia haver!

O mais que tudo tinha arranjado um bilhete à borlix (para um camarote!) e íamos comprar o outro, mas quando chegámos lá... ainda arranjou mais um! Pensar que quando me levantei de manhã nem imaginava que íamos ao concerto!... Obrigada namorado. :)

Fica a lágrima no canto do olho, por me ter esquecido da máquina para também poder filmar... :(

21 de setembro de 2008

De que serve...

...ter um Sábado, um Domingo e uma Segunda só para mim... se estou longe e não há nada de interessante para fazer?

Humpf.

20 de setembro de 2008

Nicola.

Coincidências perfeitas. :)

Estar por cá...

Ainda me estou a habituar a estar por minha conta. É que sair das saias da mamã não é lá muito fácil. E as coisas ainda nem sequer aqueceram, porque lá virão os dias em que não vou ter tempo para respirar. Já comecei o estágio, embora ainda não tenha feito mais que assistir a consultas... Já stressei algumas vezes, sobretudo quando quero tratar de alguma coisa (como papeladas e burocracias...) e parece que tudo corre mal. O que me vale é que tenho alguém muito calmo ao meu lado... às vezes tão calmo que ainda me enerva mais!

Já disse que é muito chato ser crescida, não já?

A tal aventura...

...já começou! Lisboa tem por cá (mais) uma menina do Norte.

17 de setembro de 2008

Cucu!

Só para dizer que ainda estou alive! Depois de quase um mês sem net... e alguns posts perdidos no caminho... tenho novidades para contar. :)

Se ainda estiver alguém por aí... até já!

2 de agosto de 2008

Hoje é Sábado...

...e no entanto:

- dormi até à hora de almoço,
- passei a tarde na praia a apanhar banhos de sol,
- à noitinha andei a passear-me pela net,
- e agora vou deitar-me à fresquinha a ver um filme.

Acabaram-se os fins de semana manhosos.
E eu estou super-hiper-mega-feliz. :)

24 de julho de 2008

Percebemos que estamos velhos...

...quando o nosso irmão de 9 anos nos pede para lhe passarmos músicas para a PSP e temos que ir sacar uma série delas (Tokio Hotel incluídos, claro...) porque ele não gosta de nenhuma das que já temos no computador.

Humpf...

23 de julho de 2008

I so wish...

Só podia vir da China...

Segundo o China Daily, a China está a reciclar preservativos usados transformando-os em coloridos elásticos para o cabelo. As autoridades estão preocupadas com a possibilidade de transmissão de doenças.

Imagem: Snopes

Agora eu pergunto: Os preservativos já foram realmente usados? Mas onde é que eles vão buscar o raio dos preservativos usados? Dá-se uma recompensa??

Este mundo está de pernas para o ar. Eu nem quero imaginar de que são feitos os elásticos do meu aparelho!...

21 de julho de 2008

Once upon a time...

...the end.

Ainda ontem começou o meu curso e já está no fim. Hoje de manhã fiz o ultimíssimo dos meus exames. Sem contar com a defesa, claro. Essa é só para o ano. Ainda me estou a habituar à ideia de que estou mesmo, mesmo de férias.

Em Setembro começa o estágio em Lisboa, no Hospital de Santa Maria. Um estágio em Nutrição e não só. Uma aventura em muitos sentidos, que vai exigir muito de mim. Mal posso esperar que tudo comece. O meu coração anda aos saltinhos!

Respostas... na ponta da língua!

Enquanto estudava o slide que se segue, reparo que a Grécia (que segue o padrão alimentar mediterrânico), em comparação com os EUA, apresentava uma maior taxa de mortalidade por cancro do estômago, enquanto as taxas de mortalidade pelas restantes doenças eram menores.
Pergunto a uma amiga se tal se deve a algum motivo em particular e a resposta não podia ser mais elucidativa:

"É porque este ano não foram campeões da Europa e a azia conduziu ao desenvolvimento do carcinoma do estômago!"

20 de julho de 2008

É segredo...

...mas eu descobri um blog cinco estrelas!

Shiuuuu!

17 de julho de 2008

Por te Rever

Quisera roubar-te essas palavras e morrer
Trazer-te assim até ao fim do que eu puder
E começar um dia mais eternamente
Por te rever, só
Pudesse eu guardar-te nos sentidos e na voz
E descobrir o que será de nós
E demorar um dia mais eternamente
Por te rever, só
Quisera a ternura, calmaria azul do mar
O riso o amor o gosto a sal o sol do olhar
E um lugar pra me espraiar eternamente
Por te rever, só
Pudesse eu ser tempo a respirar no teu abraço
Adormecer e abandonar-me de cansaço
Quisera assim perder-me em mim eternamente
Por te rever, só

Mafalda Veiga

15 de julho de 2008

Dulce

Tem origem no latim, através da palavra Dulcis e significa "doce". É o nome da minha avó e há-de ser o nome da minha primeira filha.

Desafios

Como é sabido, a alimentação tem um papel fundamental no tratamento de muitas doenças. Hoje fiz exame de uma disciplina cujo objectivo é, precisamente, ensinar-nos como é que, na prática, isso se faz.

Entre obesos, diabéticos e muitos, muitos outros, aprendemos a tratar doentes insuficientes renais e insuficientes renais em hemodiálise. De facto, como a minha professora diz “o rim é uma coisa fantástica” e fazer planos alimentares para doentes deste tipo é um desafio para qualquer nutricionista. Um plano alimentar desadequado (ou que não é cumprido) pode comprometer a saúde destes doentes ou até mesmo levar à morte. Conseguir satisfazer as necessidades nutricionais, tendo em conta tudo aquilo que estes doentes não podem comer (ou beber, já que no caso da hemodiálise apenas são permitidos alguns goles de água…) e ao mesmo tempo que conseguimos que o doente cumpra o plano, nem sempre é tarefa fácil. E quando existem outras patologias associadas, a coisa ainda complica mais. Um desafio.

Eu, por enquanto, ainda estou do lado de cá. Mas enquanto estudava, ao mesmo tempo que conseguia ver esse desafio, o coração ficava apertadinho. E tentava abstrair-me, mas sem sucesso. Sei que mais tarde ou mais cedo, o desafio vai continuar, e ainda maior, do lado de lá. Vou ser eu a ter que cumprir um plano semelhante. Vou ser eu a ter que enfrentar a hemodiálise e a passar pelo que a minha avó e a minha tia passaram e, infelizmente, a minha mãe também passará. E isso… também não vai ser tarefa fácil.

11 de julho de 2008

Se assim é...

...eu também devo ser nascida fora de tempo.

6 de julho de 2008

Drama.

Isto de ir ao shopping, às vezes é um caso sério. É que eu até consigo entrar nas lojas de roupa e "ai que esta saia me fica tão bem..." e resistir. Depois até entro nas lojas de pulseirinhas e brinquinhos e anéis e carteiras, e sou bem capaz de não comprar nada. Cheia de coragem, ainda arrisco e vou à secção dos acessóriozinhos para o cabelinho-encaracolado-que-custa-a-dominar e, não sei bem como, resisto. Agora, quando ponho o pézinho dentro das lojas de roupa interior gira e fofinha e tudo e tudo e tudo... é que o caldo está entornado.

4 de julho de 2008

Decorações.

Por incrível que pareça, só hoje me dei conta que as cores que escolhi para decorar o blog há umas semanas, são exactamente as mesmas que escolhi para decorar o meu cantinho, há uns meses.




Como se pode ver... ando muito rosinha e lilás! :)

Só é pena esta última foto ser pura ficção, porque as cortinas ainda não foram penduradas! Como se costuma dizer: "Casa de ferreiro, espeto de pau..."

Desde 1985...

...que o índice de felicidade dos Portugueses desce gradualmente.

Das duas uma: ou eu tenho feito muita gente infeliz, ou desde 1985 que ninguém fica tão feliz por alguém nascer! :)

Segundo fonte segura...

...estou a meio caminho entre santa e rebelde. Uhh!
Pode ainda dizer-se que sou casmurra, impulsiva e vingativa... e há dias em que sou louca!
Tenham medo, muito medo.

3 de julho de 2008

Hoje.

Hoje poderia escrever um daqueles textinhos poéticos para expressar o quão frustrada comigo própria me sinto. Porque insisto em repetir os mesmos erros vezes sem conta, ainda que todos à minha volta me chamem à razão.

Hoje poderia escrever de mil e uma formas diferentes, quiçá com algum floreado, o que na verdade se resume numa só palavra:

...estupidez.

2 de julho de 2008

Para vocês que duvidaram...

...eis a prova! :)

Sim, eu sei que estou um pouco atrasada, mas o suporte da máquina estava avariado... E sim, também sei que é impossível não reparar na bela da toalha lá atrás... :P

30 de junho de 2008

Não tivesse eu que poupar muito, muito, muito...

...e era menina para me meter numa coisinha destas.

Já há uns seis anos que digo que um dia vou aprender. Agora que surge a oportunidade ideal, morro de vontade... mas não vai passar disso. :(

Um dia
olho para trás... e já não vou a tempo. Não dizem que burro velho não aprende línguas?

Gosto, gosto, gosto!

Palavras para quê?! Gosto da letra, fica no ouvido... e já me deixou várias vezes no carro à espera que acabasse! :)

video

Natasha Bedingfield - Pocket Full of Sunshine

19 de junho de 2008

Campo ou Cidade?

Rio Tinto
Porto

Lisboa

Nova Iorque
(todos com o mesmo zoom)

Nova Iorque foi a primeira cidade que me veio à cabeça, como extremo de comparação. Achei que iria resultar e resultou. Muito mais do que estava à espera. É tudo tão cinzento! Assustador, não?

Pensava eu que vivia numa cidade. Vivo no campo e não sabia!... :)

17 de junho de 2008

Se eu pedir com muuuito jeitinho...

...o tempo passa mais rápido?

14 de junho de 2008

Para ti, querido amigo.

Ainda não é hora. Talvez amanhã, talvez para o ano que vem. Talvez quando for demasiado tarde, talvez não. Quando o meu coração disser que sim... eu volto. Para já, vou continuar no meu cantinho.

Um beijinho, com saudades de verdade*

13 de junho de 2008

Hoje.

Adormeci. Não estudei nada do que queria. Almocei. Fui. Cheguei. Perdi-me. Esperei. Sim, vai ter que fazer um trabalho. Um resumo. Um livro pequenino. Perdi-me. Biblioteca. Perdi-me. Encontrei o livro pequenino... de 200 páginas. Não, não tem cartãozinho, não pode requisitar. Tem de tirar cópias. Não tem cartãozinho, também não pode levar para tirar cópias. Burocracias. O tempo a passar. Frustração. Só me quero ir embora, não pertenço aqui. Consegui o livro. Piso 1. Cópias? Para hoje já não dá. Piso -1. Perdi-me. Cópias? Só com o cartãozinho. Piso 1. Menina, faça-me esse favor... Cópias. Voltei.

Um trabalho e um exame, de uma cadeira "opcional" que não me vai servir de nada e que me obrigaram a fazer numa faculdade que não é a minha. As "cópias" estão ali. Os apontamentos também. O exame é amanhã de manhã. Se vou lá estar é que já não sei.

12 de junho de 2008

Agora percebo...

...porque é que o autocarro da Selecção Nacional é movido a Vontade de Vencer!

Se fosse a gasóleo ou gasolina estávamos mal! Agora vontade... é o que não falta neste país!

11 de junho de 2008

É hoje!

Amanhã vou ao dentista. Se hoje ganharmos, ponho elásticos verdes e vermelhos!

(Ou então não!)

9 de junho de 2008

Home alone... again.

Hoje afogo as minhas mágoas numa bela lasanha do Lidl, enquanto vejo mais um episódio do brilhante House.

Uma lasanha inteirinha, só para mim.
Obesidade, aqui vou eu.

8 de junho de 2008

Why I Jumped

Nunca tinha ouvido falar desta história e confesso que fiquei um pouco perturbada. Sobretudo quando a meio do filme mostram as imagens reais de Tina Zahn a saltar da ponte. Ela não fez fita, não ameaçou. Simplesmente parou o carro... e saltou. Mas Deus estava ali e ela foi miraculosamente salva por um polícia que tinha acabado de parar o carro e que a conseguiu agarrar pelo pulso.



É real. Há mulheres que sofrem tanto depois de terem um bebé, que chegam a querer suicidar-se. Eu não sabia.

Do tal último dia.

Dias passadas a fazer análises estatísticas, gráficos e slides xpto para o trabalho final de Preparação para Estágio.
Horas (seis, 6) todos metidos non-stop num anfiteatro, para a apresentação de todos os (doze, 12) trabalhos.

No regresso a casa:
Luísa - Bem... os nossos gráficos eram os mais giros!
Eu (presunçosa) - Pois eram. Estás a ver, até aprendeste umas coisas comigo ao fim de tantos trabalhos juntas!
Luísa - Olha, olha... aprendi algumas coisas, nada de especial!
Eu (de beicinho) - Pois... não sirvo para nada!
Luísa - Oh... lá estás tu a tirar conclusões sem significado estatístico!

Este... vai ser um trauma difícil de ultrapassar!

7 de junho de 2008

Ok...

...confesso que já não me lembrava como era ver um jogo de Portugal, com o coração aos pulos por saber que até somos meninos para ir longe. Ao mesmo tempo que quero que o Europeu para nós acabe rápido, dou por mim a imaginar-nos na final. Hoje, senhores jogadores da Selecção Portuguesa, vocês baralharam-me o esquema todo!

Vá, gozem-me à vontadinha... eu hoje estou muito orgulhosa! :)

Dolce fare niente

Hoje o meu trabalho esteve completamente às moscas durante 3 horas. Sentada ! a uma das mesas, saboreei o Portugal-Turquia do princípio ao fim, enquanto me pagavam para estar ali! :)

6 de junho de 2008

Vim aqui só para dizer...

...que tenho as melhores amigas do mundo.

Gosto-vos! :)*

Quatro anos que passaram a voar.

Hoje é o meu último dia de aulas.

4 de junho de 2008

Acreditem.

Se esta semana eu não gastei mais de 70€ em papelada...

...não gastei nada.

3 de junho de 2008

É um buraco, faxavor...

Há dias em que, definitivamente, mais valia nem sequer ter saído da cama.

Ontem ao início da tarde, ao chegar à faculdade, o meu carro ganhou vida própria, saiu do lugar onde o tinha estacionado, deu meia volta e foi bater de traseira num outro carro que estava a estacionar dois lugares ao lado. Tudo isto na minha ausência. Já eu estava a 30m de distância, quando o dono do outro carro vem ter comigo a correr esbaforido. Enquanto me aproximo do local só me sai um "Olhe que aquele não é o meu carro... que eu estacionei-o virado para o lado oposto!" Infelizmente era. Como senti que ainda não era emoção suficiente para o meu dia, consegui arranjar maneira de perder a chave do carro. Era meia-noite e estava eu a telefonar para me irem buscar com a chave suplente.

Como se pode ver... ando cheia de sorte.

29 de maio de 2008

Sentir o coração apertadinho...

...por saber que o dia começou tão perto e vai terminar a milhares de km de distância. Sentir o coração apertadinho por saber que pode ser por um mês inteiro.

Ultimamente...

...ando assim, sem saber bem como. Não sei se estou feliz, se estou triste, ou se estou só com medo. Ser crescida não tem piada nenhuma. E esta coisa de ter que tomar decisões importantes, daquelas que podem definir o meu futuro... tem muito que se lhe diga. Num dia sinto-me capaz de fazer mil e uma coisas e no dia seguinte sinto que nada vai dar certo. Num dia quero é desafios e no outro convenço-me que só vou ser uma desilusão, para mim e para os outros. Sinto-me pequenina e que não quero mais aventuras. Não sei o que me espera daqui a alguns meses. Ao mesmo tempo que o meu coração anseia que chegue a hora... dou por mim a chorar apavorada. Quero muito... e muito pouco.

Ultimamente ando assim. Indefinida.

13 de maio de 2008

Descobri...

...uma colecção de cartoons tão linda, tão linda! Chama-se Pon and Zi e são dois bonequinhos. Não se sabe qual deles é o menino ou a menina, mas são namorados. :) O seu autor chama-se Jeff Thomas e o site é www.azuzephre.net. Lá tem muitos, muitos outros cartoons Pon and Zi. Todos adoráveis. Que vontade de os pôr a todos aqui!

mais 2 dias e um bocadinho...

Vira o disco e toca o mesmo.

Ainda agora o semestre começou e a época de exames (a minha última) já está aí à porta. Acumulam-se os trabalhos e outras coisinhas chatinhas para fazer. Começa o stress dos apontamentos que não estão em dia. É o pânico de não saber resolver os casos clínicos e as promessas do semestre passado que se ouvem ao longe "Ai...que eu p'ró próximo semestre vou resolver os casos todos a tempo e horas!" Começa o friozinho na barriga de quem sabe que, para não variar, se baldou demasiado.

É vira o disco e toca o mesmo. Agora é acelerar o passo, ou isto vai correr mal. Ai vai, vai.

12 de maio de 2008

Chumby

Quero um brinquedo destes!

Yorn Power Extravaganza

Sou bem capaz de me habituar a isto.

30 de abril de 2008

Este post ainda não sabe se é triste ou feliz.

Deveria ser só daqui a um ano... mas impus as fitas no domingo passado. Tenho-me consolado a passeá-las de um lado para o outro e orgulho-me de andar na rua trajada, de pasta na mão e fitas amarelas e verdes a esvoaçar com o vento. O coração bate mais forte quando reparo nas pessoas a olhar e apetece dizer bem alto "sim, sim, está quase!" As fitas saltam de mãos em mãos. As lágrimas vêm aos olhos ao ler o que nelas se escreve.

Só sou fitada por uma semana, porque no próximo domingo queimo as minhas fitas e imponho a roseta. Recebo a minha cartola e a bengala. Começa uma semana que vai ficar para sempre na minha memória. A minha Queima das Fitas. Porque, este ano, sou finalista.

Infelizmente, e graças a Bolonha, o meu ano é um ano de transição. O meu curso já não é de 5 anos, mas também ainda não é de 4. Não posso ser fitada em condições. Não posso ir no cortejo a abanar as minhas fitas. Não posso construir o carro, nem passar a tribuna em cima dele. Se para quem nunca viveu a praxe, nada disto faz sentido... para mim faz, e muito. Já chorei baba e ranho mas se é assim que tem que ser... seja. Resta-me aproveitar cada momento que falta... ainda que se me aperte o coração por saber que tudo está no fim. Ainda não me sinto uma finalista... restam uns dias para me habituar à ideia. :)

29 de abril de 2008

Sobram-me as novas para contar...

...faltam-me o tempo e a paciência.

Venho já.

16 de abril de 2008

Do filme...

"- Que lhe fizeste?
- Faltei ao nosso primeiro pôr-do-sol na varanda nova.
- Só isso?
- O pôr-do-sol não me diz nada!...
- É natural! O mundo divide-se entre aqueles que gostam do pôr-do-sol e aqueles que não gostam. As pessoas como tu nunca estão felizes. Tu és ansioso, um perfeccionista egocêntrico que não consegue estar quieto e que morrerá sozinho, com um milhão de dólares e mil mágoas. Mas os que conseguem descontrair-se e apreciar o pôr-do-sol, de mãos dadas, ao fim do dia... Esses sim, é que são felizes."

After the Sunset (Golpe no Paraíso)

Eu gosto! :)

Cinema em casa...

...com as amigas! :) Enroladas nas mantas, com conversas animadas, bolachas e muitas pipocas à mistura. Lá fora, o que era "um dia demasiado bom para ficar em casa a estudar" passou a um temporal. Com a chuva a bater na janela, ainda soube melhor ficar aqui no quentinho!

De repente...

...ficou tudo muito real. O que parecia muito distante e incerto, está agora ao alcance da minha mão. O que não passava de uma coisa que eu queria muito... é agora quase realidade. Tenho o coração aos pulos de felicidade, medo e ansiedade. Tudo misturado.

Está quase.

15 de abril de 2008

É quando o tempo aquece...


...que dá aquela vontade forte de abrir as janelas de par em par e sentir o aroma suaaaave do estrume que os nossos vizinhos acabaram de colocar nos seus belos campos! Sim, porque morar no 3º andar de um prédio que só tem casinhas à volta não traz só uma vista bonita do pôr-do-sol.

Humpf!

13 de abril de 2008

E se assim de repente...

...a felicidade batesse à porta?

Post de gaja

Socorro! As minhas unhas estão a descascar como se não houvesse amanhã! Nunca me aconteceu tal coisa... :(

12 de abril de 2008

Meio-dia.

Entra a mãe, a filha e uma outra senhora que suponho ser amiga. Filha com cerca de 10 anos, com claro excesso de peso, talvez obesidade. Sentam-se. Eu aproximo-me da mesa, para que façam o pedido.

"Mãe - São dois cafés, menina. (vira-se para a filha) E tu, Guidinha, queres alguma coisa?
Guidinha - Não.
Mãe - Escolhe alguma coisa, Guidinha! Queres um leite achocolatado?
Guidinha - Não!
Mãe - E um bolinho? Escolhe umas miniaturas!
Guidinha - Oh mãe...
Mãe - (agarra a Guidinha pela mão) Anda cá comigo, que vamos ali ver!"


No final, a Guidinha acabou a mastigar uma pastilha elástica... Ainda que não quisesse nada. Custou, mas eu fui linda e até consegui não me meter na conversa!

8 de abril de 2008

Porque é que...

...os últimos vinte minutos de uma viagem de quase três horas demoram sempre mais a passar que os primeiros? :)

6 de abril de 2008

Digo constantemente a mim mesma...

...que o meu trabalho me está a ajudar a crescer. Que engolir sapos e calar mesmo quando dá muita vontade de responder só pode servir para moldar a minha personalidade. Que lidar com pessoas pequeninas, para as quais uma discussão é o momento alto do dia, só vai servir para me preparar. Que quando trabalhar "a sério" vou ter muito mais estofo para enfrentar as situações e os atritos que vão surgir. Que vou aprender a passar ao lado de quem diz mentiras sobre mim. Que um dia vai ser mais fácil porque vou saber lidar com os conflitos. Evitar discussões.

Acho que prefiro acreditar que sou eu. Que as pessoas não são assim tão más, eu é que não sei lidar com elas e tenho que mudar. Não queria ter que chegar a casa com a cabeça a latejar e com lágrimas nos olhos...

5 de abril de 2008

Sunscreen



Ver, ler e ouvir até ao fim. :)


Uma vez um professor disse-nos:
"Ao longo da vossa vida, vocês vão perceber que é sempre assim. É só na véspera do exame que achamos que devíamos ter de novo todas as aulas. É só quando começamos a trabalhar que descobrimos tudo o que deveríamos ter feito e aproveitado durante o curso. É só quando nos tornamos pais, que sabemos como deveríamos ter sido enquanto filhos. É só quando os nossos filhos saem de casa que nos sentimos preparados para ser pais."

Marcou-me, de tão verdade que é. Só nos sentimos preparados para as coisas... quando já passamos por elas. E não sabemos o que vai ser o dia de amanhã, nem o que vamos desejar ter feito hoje. Tenho medo disso. Tenho medo de um dia olhar para trás e achar que devia ter feito mais. Muito mais. Quero viver e aproveitar. Fazer algo de assustador todos os dias. Ser eu e mais ninguém. Fazer o que achar que devo fazer e deixar de adiar isto e aquilo. Dar valor ao que interessa e a quem interessa e deixar de me preocupar com coisas e pessoas pequeninas.

Hoje este filme deixou-me a pensar. Provavelmente até nem diz nada de novo, mas há dias em que tudo faz muito sentido... e percebemos que ainda há muito para fazer e muitas arestas a limar na nossa personalidade e no nosso dia-a-dia.

Amanhã vou comprar protector solar!

4 de abril de 2008

O cúmulo da distracção...

...é alguém levar o carro para a faculdade, apanhar dois autocarros para voltar para casa, chegar e pensar que a mãe foi querida e até pôs o carro na garagem... e só se lembrar quando está a meter a chave na fechadura.

3 de abril de 2008

Gosto muuiito...

...desta serenata!

Consultas animadas.

Ontem foi mais um dia de consultas no hospital. A primeira doente, uma senhora de 68 anos, ia acompanhada pelo marido. Eram um consolo. Rimos tanto... que eu fui buscar o caderno para apontar as coisas que eles diziam. Começou por se desculpar, dizendo à nutricionista que estava a fazer medicação:
"- Ó senhora doutora, olhe que eu estou a tomar antibióticos e vitaminas!
- Então, mas os antibióticos engordam, é?
- Não sei... mas as vitaminas sim!"

O marido ajudava-a no relato do que tinha comido no dia anterior e notava-se que eram unidos. Trabalhavam no campo, iam os dois ao fim da tarde fazer a caminhada recomendada, ele acompanhava-a na dieta e sabia o que ela ia comendo... faziam tudo juntos. Mais uma vez, fiquei deliciada! :) Ele acrescentava:
"Ó senhora doutora, ela agora não come isto e aquilo, e eu fico desconsolado, que também não posso comer!"

Ela dizia que tudo o que comia era "assim" (juntava o polegar ao indicador, formando um círculo pequenino) e repetia:
"Ó senhora doutora, eu tenho o poder de engordar!!" "Dê-me qualquer coisinha para me ajudaaaaarrr... é que eu esta semana estive quase quase para comprar aquela coisaaa que até dá na televisão!"

Para completar, o senhor ficou muito surpreendido quando lhe foi dito que o azeite tinha que ser pouquinho, porque apesar de ser uma gordura boa, não deixava de ser uma gordura:
"Ó senhora doutora, o azeite engorda?! É que eu gosto muito de batatinhas e elas têm que estar a navegar no azeite!"

Um dia escrevo um livro com estas coisas! :)

1 de abril de 2008

Hoje é dia das mentiras.

Hoje não gosto de ti.

"Não sou muito de doces!"

Não me lembro quando, nem a que propósito, mas esta foi uma das frases mais infelizes que algum dia eu já disse!

Estávamos todas na fila da cantina. O que eu realmente queria dizer (disso eu lembro-me) é que numa festa, por exemplo, entre os doces e os salgados, me inclinava mais para os salgados. Que pegava mais depressa num salgadinho que num pedaço de bolo... Mas pronto... não foi bem isso que disse. E agora, se não sou gozada todos os dias pelas minhas amigas, é quase! Elas contam as vezes que como lambarices ao longo do dia... e eu já penso duas vezes antes de tirar uma mousse ou uma gelatina na cantina como sobremesa, antes de ir à máquina buscar um chocolate ou um bolo cheio de creme, ou antes de tirar um chocolate quente... só para não as ter à perna! É que definitivamente... doces é comigo.

Como diria o Donald, "eu e o meu grande bico"!

30 de março de 2008

Ainda há crianças educadas.

Há crianças que sabem comportar-se melhor que muitos adultos. Crianças que sabem falar e me pedem direitinho o que querem, acrescentando se faz favor no final. Que sorriem e dizem obrigado quando pouso o pedido na mesa. Que voltam a sorrir e dizem que sim, quando passo por elas e pergunto se está bom. Que deixam o sítio onde comeram limpinho e dizem até amanhã quando vão embora.

Não é de ficar deliciada? :)

De pequenino...

Já não é a primeira vez que calho de ir com o meu irmão comprar qualquer coisa para mim. E o mais incrível... é que gosto! Ele dá palpites e diz o que gosta e o que não gosta. "Essa fica-te bem." ou "Essa não, que está apertada." ou "Essas são giras, mas não gosto com essa camisola." ou "Não gostas mais desta?"... entre muitos comentários de gente crescida. No final, acabo sempre por concordar com ele. E quando pergunto opinião a mais alguém, recebo as mesmas respostas! O meu irmão vai ser o namorado que todas as mulheres sempre quiseram ter. Ou então não. Mas que o rapaz tem bom gosto... lá isso é verdade!

E não, não tem tendências duvidosas. Muito pelo contrário. E até namora com a Raquel Sofia. Ela é que ainda não sabe! :)

28 de março de 2008

Aqui, algures.

Um bocadinho de ti. A fingir que corres, a fingir que trabalhas. Ui, que profissional! :) E eu, posso puxar para trás e para a frente e ver-te as vezes que bem me apetecer.

26 de março de 2008

Não, claro que não me preocupo...

Ouvi, pela primeira vez, que tinha um quisto num ovário, por acaso, quando fui fazer uma ecografia por causa de uma infecção urinária. Disseram-mo como se fosse a coisa mais natural do mundo. Não me aconselharam nada nem me voltaram a falar no assunto. Não me preocupei.
Da segunda vez, passadas poucas semanas, e no mesmo contexto, a médica disse-me que o quisto tinha 7 por 8 centímetros. Perguntei se não seriam milímetros. Não. "Mas não se preocupe, que isto desaparece com a pílula." E eu também não me preocupei.
Hoje voltei a fazer uma ecografia. Porque me sentia esquisita e desconfortável e sentia que aquilo não estava nada a desaparecer. Porque me queixei à médica de família e ela não acreditava que eu tivesse um quisto daquele tamanho. "Não são 8 milímetros, Débora?" Não.

"Volumoso quisto bem delimitado com cerca de 8,3 x 9,7 cm de diâmetro no ovário esquerdo."

Voltaram com o mesmo discurso. "Pois... isto com a pílula não vai lá. Mas não se preocupe, que até fazem isso com cirurgia laparoscópica." É claro que não me preocupo. Tenho uma coisa maior que uma bola de ténis (e a aumentar de tamanho) presa a uma coisinha tão pequena como uma amêndoa, mas não há razões para me preocupar. Por este andar, daqui a mais umas semanas vão dizer-me que afinal vou ter que tirar o ovário esquerdo "mas não se preocupe, que a menina ainda tem o direito." Mas não me preocupo.

Ainda bem que me disseram para não me preocupar.

August Rush

Para sorrir e para chorar.
Para ficar com um nervoso miudinho do princípio ao fim.
Vi e gostei. Muito.



Hoje...

...estou só triste. Nem cansada, nem amuada, nem chateada com o mundo. Só triste. Porque não controlamos nada. Porque por muito que queiramos as coisas nem sempre correm do jeitinho que nós queremos. E temos que aprender a viver com isso.

Hoje estou triste, só isso.

25 de março de 2008

Saudades... de vestir preto.

Por incrível que pareça, este ano lectivo, tinha vestido o traje apenas duas vezes, em Outubro. Hoje, as saudades foram mais fortes... e voltei a trajar.

Vesti-me e encontrei a custo umas meias pretas no fundo da gaveta. Calcei os sapatos que, contra a minha vontade, agora têm capas novas, porque as outras já tinham desaparecido. Os sapatos que até já andaram com um tacão colado com super cola 3! Apertei a gravata cujo nó nunca aprendi a fazer, vesti o casaco e tracei a capa que já fingiu ser veterana.

Olhei-me ao espelho e voltei a sentir aquele friozinho na barriga.

Relembrei o orgulho que sentia de cada vez que saía à rua de preto. O prazer que tinha quando notava as pessoas a olhar... e a vontade de dizer a toda a gente que tinha conseguido. Que estava ali. Relembrei semanas após semanas em que só vestia uma roupa diferente ao fim de semana... e nunca me cansava. Relembrei o ter que lavar as camisas de um dia para o outro, e esperar que secassem. Relembrei os dias de chuva em que chegava à faculdade molhadinha até à roupa interior... e ainda assim, no dia seguinte voltava a trajar. Relembrei que nunca foi demasiado quente nem demasiado frio. Nunca foi apertado nem largo e muito menos desconfortável. Para mim, o traje era perfeito... e havia dias em que não me sentiria melhor com nenhuma outra roupa.

Hoje vesti o traje e voltei a passear-me de preto nos corredores da faculdade. Tinha saudades. Decidi que vou aproveitar o pouco mais de dois meses de aulas que me restam, guardar o resto da roupinha no armário... e trajar até mais não.

24 de março de 2008

É favor...

...espreitar aqui os 15 minutos mais produtivos do meu dia. :)

É que, Carla, hoje foi mesmo uma daquelas "tardes passadas em casa, no quentinho, a vê-la pela janela"!

22 de março de 2008

Prinverno

Para receber a Primavera, ontem a chuva fez uma pausa e fingiu que não estava por perto. O Sol deu ares de sua graça e fez acreditar que vinha para ficar. E pela primeira vez no ano, até andei de manga curta. Pena... mas foi só mesmo um cheirinho. Acho que este Inverno horroroso ainda não acabou. :(

A Primavera ainda é de faz de conta...

21 de março de 2008

Não.

Hoje não queremos tristezas!

20 de março de 2008

Há dias...

...em que o coração está assim. Cheiinho de coisas boas. :)