31 de outubro de 2012

Verbo "perder a cabeça".

Eu fui ao site da Vertbaudet com o intuito de aproveitar uma promoção e comprar umas camisolas pré-mamã para mim. A sério que fui. Diz que era o presente de aniversário do Bruno para mim. Mas depois uma pessoa tropeça em coisas destas e fica assim a modos que a babar em frente ao monitor!... Ter uma menina é uma tortura para quem não pode simplesmente clicar em "adicionar ao carrinho" indefinidamente. Contentei-me com duas camisolinhas para mim e estas 3 peças para ela. Amanhã lá vamos nós ter que aproveitar o feriado para passear a roupinha nova... que chatice. Ai, se eu tivesse muito dinheiro!! :)

Da sensibilidade masculina.


(atenção! contém spoiler)

Lady Edith afundada em baba e ranho, acabadinha de ser abandonada no altar, os preparativos para o casamento a serem desfeitos e ele: "Xi, e agora?... já viste a fortuna que eles gastaram??"

29 de outubro de 2012

25s e 4d


É tão, mas tão bom, estar grávida :)
(por favor relembrem-me estas palavras quando eu entrar na recta final, sim?)

26 de outubro de 2012

Opá...


Que anúncio delicioso! :')

25 de outubro de 2012

Do parto (que está para vir).

Completo hoje as 25 semanas e ultimamente dou comigo a pensar cada vez mais no nascimento do bebé que trago cá dentro. Nesta segunda gravidez, olho para tudo de maneira diferente. Penso um bocadinho menos no facto de estar grávida e, por isso mesmo, o tempo passa (ainda) mais depressa. Mas acho que penso mais no parto. Vou com a vantagem de saber o que me espera. Mas lá está - já sei o que me espera. E isso não é necessariamente reconfortante :) Apesar de o meu primeiro parto ter durado 5 horinhas, são momentos só nossos, momentos em que o nosso corpo assume o controlo, dores que ninguém sente por nós e que, felizmente, a nossa mente tem a habilidade de apagar da nossa memória! Caso contrário ninguém repetia a dose de livre vontade ;)
Relembro o parto da Matilde e imagino que gostava que desta vez "a coisa" se processasse de forma mais espontânea. Apesar de nunca me ter arrependido de ter avançado para o parto induzido assim que completei as 41 semanas (por mim até tinha sido antes, tal era o meu cansaço e a minha ansiedade), há coisas que não vivi e que gostava que fizessem parte desta experiência única que é trazer um filho ao mundo. Coisas pequenas, talvez até parvas, mas que eu gostava de conhecer. O "rebentar" das águas, por exemplo, não sei o que é, porque foram as enfermeiras que o fizeram. Sei que é uma coisa sem importância e que na maioria das vezes as águas não rebentam antes, mas mesmo assim! Também não sei o que é começar com contracções de um momento para o outro, sem estar à espera. Por muitas tentativas que tenha feito para provocar o parto da Matilde de forma natural... a primeira contracção que senti na vida foi depois da indução. Não sei o que é ter o Bruno ao meu lado durante este início do trabalho de parto, porque no parto da Matilde ele foi mandado para casa enquanto aguardávamos e foi tudo tão rápido que quando chegou já eu estava com a dilatação quase feita, a implorar pela epidural. E convenhamos que, qualquer grávida que se preze, quando pensa no parto se imagina a correr para o hospital, a arfar dentro do carro, com o marido ao lado a buzinar para que abram caminho, ou sou só eu?? :)
Por estes dias li este artigo da Pais & Filhos e gostei muito. Apesar de ter tido uma primeira experiência, a meu ver, muito boa e de ter sentido tudinho (mesmo com epidural sabia exactamente quando tinha que fazer força, ao contrário de alguns destes relatos), tenho ponderado se realmente terá sido um procedimento necessário. Afinal de contas, veio tarde e a más horas, já eu estava quase em ponto rebuçado... mas também é verdade que quando ela finalmente chegou eu já jurava a mim mesma que não resistiria a nem mais uma contracção e que não seria capaz de ir até ao fim. Fiquei com a pulga atrás da orelha. Há uma pequena parte do meu (nosso) parto, que eu saltei. Que não sei como é. Será que não seria mesmo capaz? Ou será que estava mesmo quase e eu desisti? Logo descubro como canto quando chegar a hora de o Gonçalo vir cá para fora. Mas estou certa de que desta vez vejo as coisas de forma um bocadinho diferente...  e me sinto capaz de um pouco mais.

24 de outubro de 2012

Fita de viés.



Não deixa de ser curioso como todos os posts sobre costura que aqui coloco parecem invisíveis. Juro que às vezes venho confirmar se ficaram mesmo publicados, tal é o silêncio! :) Serei eu que ando muito chata? Acredito que sim e lamento se é o caso... mas a verdade é que fica difícil variar muito nos temas, quando o tempo escasseia e quase todos os meus dias são passados no meio dos trapos! ;)

Anyway... hoje, enquanto fazia esta fita de viés, pensava que é uma coisa um bocadinho aborrecida de fazer, sobretudo para quem, como eu, não tem nem material de corte, nem fazedor de viés (ou faz viés ou passa viés... como lhe quiserem chamar). Porque ninguém nasce ensinado, já "perdi" algumas horas à procura da forma mais rápida e eficaz de fazer esta fita e, tirando uma ideia daqui e outra dali, consegui dar com aquela que me permite fazer viés de forma a que fique perfeitinha, sem esfrangalhar o tecido todo, queimar os dedinhos ou chorar de desespero ;) Por isso, lembrei-me de me estrear nos tutoriais, mostrando como faço. O que não faltam por essas internetes fora, são posts sobre o assunto, mas sem ambos os utensílios não me lembro de ter visto algum - serei a única pessoa no mundo? :) Por isso (e porque um tutorial dá uma trabalheira), ficam as questões, para as meninas que costuram:

Já experimentaram fazer fita de viés ou já compram feita? Acham fácil ou dá-vos algumas dores de cabeça? Têm fazedor de viés? E como cortam as tirinhas perfeitinhas? Seria útil um tutorial ou mais vale estar quietinha? :)

Conjunto de bebé com porta-fraldas + muda-fraldas (interior impermeável, dobra-se de forma a ficar em formato de bolsa) + bolsa de documentos + babete reversível.



Gosto tanto, mas tanto do tecido que deu origem a este conjunto, que quase consigo ter pena de não estar à espera de outra menina, só para poder ficar com ele para mim :)

19 de outubro de 2012

Dias.


Música no ar, linhas coladas à roupa e um bebé mexerico por companhia :)

13 de outubro de 2012

O Natal está a chegar...

Já começaram a tratar dos presentes, ou costumam deixar tudo para a última? :)




12 de outubro de 2012

6 meses, meio ano.

https://www.facebook.com/pages/Mimices/349113818473039

Faz hoje 6 meses que lançámos o site e a página do Facebook das Mimices onde, curiosamente, também hoje atingimos os 1000 likes. Para muitos pode parecer pouco, para mim é uma imensidão. Às vezes ainda acho que é areia a mais para a minha camioneta, mas devagarinho (vá lá que as clientes são pacientes!) vou continuando ao sabor da maré, para onde ela me levar. É bom, mas tão bom, ir recebendo as muitas palavras carinhosas de incentivo!... A propósito, espreitem aqui mais um post, desta vez da Joana, aqui sobre o estaminé. Obrigada! ♡

9 de outubro de 2012

OoOOooohhhh....


Eu quero estes alfinetes!!! Já disse que faço anos daqui a... humm... 18 dias? :)

Olhem só...



...estes passarinhos amorosos! Supostamente a ideia é construir este lindo mobile (móvil?) mas eu mal posso esperar para experimentar fazer alguns soltos para espalhar pela casa :) Tutorial (gratuito!) aqui.