17 de junho de 2013

Adios.

Tenho andado a adiar o inevitável: vir cá escrever uma espécie de obituário. Talvez seja demasiado dramático dizer que este blog faleceu, até porque nunca se sabe quando voltará a emergir das profundezas. Digamos que estará num coma profundo durante alguns meses... ou até me apetecer. Na verdade, até que eu tenha mais alguma coisa para escrever aqui que não seja queixar-me da falta de tempo e assinalar os x meses ou os y anos dos meus filhos. É triste, mas ultimamente a vida não tem dado para mais. Devo ter as prioridades todas baralhadas, posto que já não sei o que estou a fazer errado e como poderei fazer melhor. E já estou um bocado farta de vir aqui encher chouriços, que ninguém merece e muito menos vocês, pessoas simpáticas que me têm acompanhado nos últimos 5 anos. Foi muito bom, pode ser que venha a ser ainda melhor, um dia. De resto, já sabem onde costumo estar, quase todos os dias.
Hasta.