19 de fevereiro de 2010

1ª roupinha da Matilde


Oferecida pela avó materna :)

Elas já chegaram.

E prometem vir para ficar.

Ah, Dodot, muito obrigada pelA fraldA que enviaste e pelas 8 toalhitas.
A sério, sem isso não sei como seria!

Flickrzinho...

...a sério que eu estou a tentar, mas manter um blogue e um Facebook já é areia a mais para a minha camioneta!

18 de fevereiro de 2010

37 semanas



Obrigada, Allan, por tudo!
E desculpa, mas estou em pulgas e não consegui esperar... :)

*update
Estas sim, são as oficiais! :)

14 de fevereiro de 2010

E pronto...

...já lá vão dois aninhos! :)
Obrigada aos que por aqui têm parado!

Há quem procure uma vida inteira.

Eu já te encontrei.

13 de fevereiro de 2010

Já dizia o ditado...


...casa de ferreiro, espeto de pau.

Ou, neste caso, casa de fotógrafo, molduras sem fotografias por tempo indeterminado. Já lá vão quase 3 meses.

12 de fevereiro de 2010

É lindo, é cor-de-rosa e é meu!

E vinha com um bónus... Pode ser que seja desta que eu ganho jeito e paciência para a maquilhagem!

Pronto, 'tá mostrado. Que eu sou como as criancinhas e se não mostrasse não ficava feliz!


Viajar em trabalho...

...e deixar-me aqui alone, não tem jeito nenhum. A única coisa que me vai animando é saber que na mala vem qualquer coisinha aqui para a je :)


Da última vez, foram 400g de toblerone pela módica quantia de 2,98€! E eu que não gosto nada de toblerone... nadinha.

11 de fevereiro de 2010

Almoços de Domingo (ainda) a dois.

As melhores coisas da vida são simples... como massa de atum e boa companhia :)

Xira City

Quem é que, no seu perfeito juízo, põe uma mulher que não diz os éles a fazer um anúncio de rádio?! É que já não bastava ela brindar-nos com a palavra "mobiuiário" umas 6 vezes, ainda termina com um "Visite-nos em dabuiu, dabuiu, dabuiu ponto móveis xira ponto pt"! Paaleeeeease!

Quero um sling destes.

Só me falta decidir qual. Aceitam-se opiniões!

Índia

Jardim

Sunset

10 de fevereiro de 2010

É mais ou menos isto:

Chorar.

Por tudo e por nada.
Porque está frio, porque está calor. Porque a roupa não seca, porque me esqueci de trazer cebolas. Porque pensava que havia cogumelos e afinal não e agora, o que é que eu faço? Qualquer coisa! - diz ele. Mas eu queria com cogumelos!
Porque ele sai cedo, porque chega tarde. Porque eu saio cedo, porque chego tarde. Porque ainda tenho de esperar, porque já estou atrasada e nunca tenho tempo para nada. Porque não tenho o que vestir. Porque tenho o que vestir, mas já estou enjoada. Porque durmo mal para a esquerda, porque durmo mal para a direita, porque a Matilde dorme mal de barriga para cima (ah pois, que ela já tem quereres).

- Estás a chorar porquê?
- Porque estou triste!
- Mas porquê??
- Não sei...

Enfim. Tudo isto, entre outras coisas.
Espero bem que sejam mesmo as hormonas, que já ninguém me atura.

1 mês, 4 semanas, 28 dias.

É o tempo que falta. Diga eu como disser, parece-me sempre pouco. Ouço, leio e vejo as grávidas à minha volta, desejosas que o tempo passe a voar e encolho-me. Ultimamente vivo num misto de sentimentos. Quero muito a Matilde nos braços, quero conhecer cada cm de pele, cada traço, argumentar que é com a mãe que ela é mais parecida. Quero vestir-lhe todas as roupinhas cheirosas que já estão à espera dela e passar horas a olhar para a carinha linda que sei que vai ter. Quero dar-lhe muitos beijinhos nas mãozinhas e nos pézinhos minúsculos. Quero encher a máquina de fotografias. Mas quando penso em todas as mudanças que estão para vir, estremeço. Tantos medos. Medo de não dar conta do recado, medo por saber que não volto a ser eu sozinha, nunca mais. Nem só nós os dois. Medo de ter alguém tão pequenino para cuidar e algo correr mal. Desejo de a ter aqui dentro da minha barriga, quentinha, protegida e poder senti-la a toda a hora. Para mim, esta gravidez passou a voar, rápido, muito rápido.

Quero conhecer esse amor de que tantas mães falam e que eu sei que já existe. Só tenho medo de não estar à altura.

Está quase.

Menopausa precoce.

Adormeço quentinha, de pijama polar e meias até ao pescoço. Pela 2ª vez consecutiva, acordo só com camisola interior e não me lembro de nada, nadinha. Qual Inverno, qual quê, andamos cheias de calor por aqui!

Sorriso metálico... ainda.

Já vai fazer 3 anos em Maio. Toda a gente me pergunta quando é que tiro o aparelho e "ainda não está? Mas tens os dentes tão direitinhos!" O meu dentista não acha e no fundo eu também não, mas já estou tão fartinha disto que na última consulta estive mesmo para tirar isto fora, assim mesmo, de qualquer maneira. Depois penso que já está pago (uma fortuna!), que está quase e que podia ficar bem melhor... e acabo por tentar mais uma vez. O que está a dificultar todo este processo é o facto de estar longe e ser difícil conciliar as vagas no dentista com as minhas idas ao Porto. E muito tempo entre consultas acaba por anular os progressos...

Com tudo isto, no auge do desespero, só me lembro de dizer "Eu até já tenho saudades de isto me doer!" Assim como quem diz que o que eu queria mesmo era ver mudanças, tão a ver?... Vai daí, no fim da consulta ele diz-me que vou ter que usar outra vez uns elásticos durante a noite (a unir os dentes de cima aos dentes de baixo) o que não me preocupou muito... até à primeira noite em que os pus. É que os elásticos que eu tinha usado tinham uma tartaruga no saquinho... estes têm um elefante. Só para terem uma ideia da diferença de força que fazem. Durmo com dores e acordo a ver estrelinhas.

Alguém, por favor, me bata com muita, muita força, sim?
Agradecida.

Ainda do Natal.

Não recebi uma máquina de costura, recebi algo com muito mais valor. Um estojo de costura que era da minha mãe (provavelmente a melhor modista do mundo, claro), com tantos anos quanto eu, apetrechado com tudo o que faz falta. Mais uma vez, percebo o quanto gosto de surpresas.

E quanto uso tem tido cá em casa!

O nosso Natal...

...já foi a 3. Pelo menos em teoria :)
29 semanas de Matilde, embrulhadinha e muito mais quentinha que nós.