30 de junho de 2010

Do blog.

Faz-me uma certa confusão saber que há pessoas que lêem o meu blog e nunca dizem nada, ainda que só de vez em quando. Tenho pena, e fico sempre com a sensação de que estou a ser observada de longe, às escondidas. Que o blogue serve apenas para a cusquice. É a vida e só tem um blog quem quer, é uma verdade. Eu quero, logo tenho que me sujeitar a isso. Mas há dias, como hoje, em que a vontade de privatizar este bocadinho é muita.

Já a formiga tem catarro.

Lembrou-se que já não gosta da maminha direita. Se é por ser mais pequena, por o leite não lhe correr como ela quer (o que é estranho, porque se aperto o mamilo ainda sai mais que na outra) ou por não gostar da posição, eu não sei. É teimosa como uma porta. Se insisto esperneia, vira a cara e chora como se lhe estivessem a bater. Se o faço quando ela está com mais fome, pior ainda. Quando desisto e a volto a pôr na maminha esquerda não há menina até ao fim!

Como é que se explica a um bebé de 3 meses que se continua assim a mãe vai ficar (ainda mais) assimétrica? É que eu já não sei que lhe faça.

Antoine de Saint-Exupéry

Se estivesse vivo, teria comemorado ontem 110 anos, disse-me o Google. Dele, li apenas um livro, há muito tempo: O Principezinho. Gostei muito.

"- Que significa 'cativar'?
- É uma coisa de que toda a gente se esqueceu, disse a raposa. Significa 'criar laços'...
(...)
A raposa calou-se e olhou por muito tempo para o principezinho.
- Cativa-me, por favor, disse ela.
- Tenho muito gosto, respondeu o principezinho, mas falta-me tempo. Preciso de descobrir amigos e conhecer outras coisas.
- Só se conhecem as coisas que se cativam, disse a raposa. Os Homens já não têm tempo para tomar conhecimento de nada. Compram coisas feitas aos mercadores. Mas como não existem mercadores de amigos, os Homens já não têm amigos. Se queres um amigo, cativa-me.
- Como é que hei-de fazer? disse o principezinho.
- Tens de ter muita paciência, respondeu a raposa. Primeiro, sentas-te um pouco afastado de mim, assim, na relva. Eu olho para ti pelo rabinho do olho e tu não dizes nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas, de dia para dia, podes sentar-te cada vez mais perto...
(...)
- Vou dizer-te o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos."

in. “O Principezinho” de Antoine de Saint-Exupéry

29 de junho de 2010

Mister

O Carlos Queiroz é um fofo. Graças a ele o Bruno está de regresso e, se tudo correr bem, na sexta abraça-nos às duas. Eu mal posso esperar.

Pronto, eu confesso que fiquei um bocadinho triste, mas outros valores se levantam e 32 dias seguidos são muuuitos dias seguidos.

28 de junho de 2010

Deuteronómio 4:29

A ecoar na minha cabeça.

Um dia também estes vão ser algo especial.

Para já, são apenas alguns dos lindos tecidos que encontrei no meio da montanha que a minha mãe tem guardada aqui em casa.

Ter um blog é...

...começar a contar alguma coisa a alguém e ser interrompida com um "sim, eu sei, li no teu blog!". E pronto, é isto. São as desvantagens deste mundo virtual.

27 de junho de 2010

O meu primeiro quilt...


...tem cerca de 9 horas de trabalho, é lindinho e é da Matilde :)

Deu-me tanto gozo fazê-lo! O tal workshop foi uma de-lí-ci-a. Esta técnica chama-se rail fence e o acolchoamento é básico, são só uns zizezaguezitos. Para 1º também não se pode pedir muito!

26 de junho de 2010

Enquanto...

...relia as coisas que tenho escrito desde que o blog começou, encontrei este post. Voltei a ver o trailer e arrepiei-me toda. Já não me lembrava que tinha gostado tanto.

24 de junho de 2010

É amanhã...

...que vou finalmente fazer um workshop de Patchwork. Das 10h às 18h, ali perto do S. João. A Matilde vai ficar com a minha mãe (que eu tenho uma mãe maravilhosa que até vai lá levar a neta para eu lhe dar de mamar) e eu vou aprender uma coisa que quero imenso saber fazer. Pareço uma criancinha, de tão ansiosa que estou.

23 de junho de 2010

Do preconceito.

Há um blogue que em tempos já esteve na minha lista de blogues e que já deixou de estar. Cansou-me, pronto. Ele foi à vidinha dele, que amigo não empata amigo, e eu fui à minha. E gostos são gostos, ninguém tem nada a ver com isso. Mas agora, sempre que começo a ler um blogue que não conheço, olho para a lista de blogues e vejo o dito (o que não é difícil, uma vez que está quase sempre em primeiro na lista de actualizações), perco logo a pica toda e não consigo deixar de pensar "oh, não... olha outra".

Olá, o meu nome é Débora e esta é a minha história.

Mal-tratado.

Foi como encontrei o álbum de casamento dos meus pais, no meio de um caixote cheio de álbuns antigos. Mal-tratado, como terminou o casamento. Mal-tratado, como ficou a relação entre eles os dois depois disso.

E depois encontro fotografias como esta, que transpiram felicidade e pergunto-me como é que estes momentos se esquecem, como é que tudo isto desaparece. Pergunto-me como é que tudo pode correr tão mal, sem que ninguém consiga prever.

22 de junho de 2010

O ramo que o Bruno me ofereceu...

...no nascimento da nossa filha, foi o ramo mais bonito que eu alguma vez já recebi. Exactamente como eu gosto: aqui e aqui.

E enquanto procurava os posts em que tinha falado de flores, reparei que foi escrito precisamente no dia 18 de Março, há dois anos atrás!

Se dói? Upa, upa!

Na passada sexta-feira, quando fui levar a Matilde ao Centro de Saúde para ser vacinada, dei comigo estranhamente ansiosa. Ao vê-la adormecer, enquanto esperava pela nossa vez, tentava em vão impedi-la, angustiada com a ideia de ter que a acordar para a picarem. E já lá dentro, quando a enfermeira se aproximou com a seringa pronta, dei comigo a suster a respiração enquanto via aquela agulha enorme entrar na perninha tão pequenina dela.

É que eu não sabia que estas coisas custavam tanto. E afinal o que diziam não era só "maneira de falar". As dores dos filhos doem-nos também a nós. E não é pouco!

21 de junho de 2010

Wayfarer

Sejam eles pretos, brancos, amarelos ou cor-de-rosa, eu acho-os horrendos. Mas o que é certo é que a minha mãe, há 20 anos atrás, também andava na moda!

Bem-vindo...

...querido Verão! Tu sabes que eu gosto mais da Primavera, mas tu quando queres também sabes ser bom rapazinho. Cá beijinho e não te estiques muito na temperatura, combinado?

20 de junho de 2010

Arrrghhh!

"Coisas que me perturbam e transformam a melhor namorada que há em mim num bicho rabujo.
O roçagar da unha do pé. Geeeezzzzz. Há lá coisa que me mexa mais com o tico do que estar toda enroladinha na caminha, toda contente, toda feliz, toda nhenhenhe meu amor e sentir aquele roçar da unha do pé no meu pézinho?"

Não consegui conter duas sonoras gargalhadas quando li isto. Sou tal e qual... não somos todas?? A visão foi tão horrenda que ainda estou toda arrepiadinha! E pronto, desculpa lá amorzinho, que até fazes anos hoje... mas isto é coisa para tirar qualquer rapariga do sério!

À conta da bola...

...é o segundo aniversário que ele passa longe de nós. E que saudades que nós temos!
Parabéns meu amor, que contes muitos e que estejamos os três (os quatro, os cinco...) juntinhos, para os comemorar a todos ao teu lado. Quando chegares, prepara-te. É que eu vou encher-te de mimos até caíres pró lado!

Amo-te, namorado. Infinitos e mais além!

19 de junho de 2010

Da amamentação.


Mesmo consciente das muitas dificuldades que muitas mães têm, um dos maiores desejos que sempre tive, ainda antes de engravidar, era amamentar. Mas além de querer amamentar, como mãe e como nutricionista, queria conseguir amamentar a minha bebé exclusivamente (ou seja, leitinho da mãe e mais nenhum outro alimento ou bebida) até aos 6 meses, como recomendado pela Organização Mundial de Saúde. Felizmente (por um lado), como não estou a trabalhar e como ela só vai para a creche em Setembro, tenho a possibilidade de o fazer.

No que diz respeito à amamentação, não me posso queixar de nada. O meu peito nunca encaroçou e os mamilos nunca gretaram (nos primeiros dias doía um bocadinho, sobretudo quando ela começava a mamar, mas nada de extraordinário). Até hoje, o leite tem sido mais que suficiente. Sei que sou uma felizarda, porque em muitos casos as coisas não correm assim tão bem.

A Matilde completou ontem 3 meses e hoje apercebi-me que já chegámos a meio do caminho. Ontem fui ao Centro de Saúde para ela levar as vacinas e está apenas 200g abaixo do percentil 50. Depois de umas semanas de dúvidas sobre se ela estaria a crescer devidamente, foi uma óptima notícia e fiquei mesmo muito satisfeita!

3 meses já passaram, filhota, será que conseguimos mais 3? :)

18 de junho de 2010

3 meses

E não é que o tempo passa mesmo rápido?! :) Poooooxa!

Vuvuzelas.


Todos vocês, que têm uma vuvuzela em casa, é favor trocar a vossa página inicial da internet por esta. Depois sim, podem pesquisar e navegar na net à vontade. Entretanto, vão marcando consulta no otorrino, sim? Obrigadinha.

Não sou tão amiga, eu?

17 de junho de 2010

Amor é...

(clicar para ampliar)

...receber um e-mail do namorado a dizer que se lembra de mim e da nossa filha, sempre que vê este chafariz para os passarinhos, à saída da casa onde está instalado!

lol

14 de junho de 2010

A minha avó...

...fez 70 (setenta!) anos. E estes 70 anos não foram fáceis, sobretudo nas últimas décadas. No entanto, ao longo dos anos, surpreendemo-nos sempre com a força que ela mostrou e com a sua capacidade de vencer todas as doenças e cirurgias que foram aparecendo, incluindo diabetes, um fibroma no útero, vários coágulos na cabeça, 3 cirurgias à tiróide, uma apendicite, um ligeiro enfarte... e outras que agora não me lembro. Na faculdade, a cada patologia de que falávamos, eu falava na minha avó. A minha avó tem isto, a minha avó tem aquilo. Quase não chegam as duas mãos para contar as cirurgias que fez. Como se não bastasse, fez diálise 12 anos. Doze. E ao fim destes doze anos foi transplantada. Hoje, os médicos brincam e dizem que o rim dela está tão bom que ainda há-de ir para outra pessoa. Vejo na minha avó (e na minha mãe) alguns dos problemas que eventualmente estão à minha espera e custa pensar nisso. E quando olho para ela (apesar de lhe ralhar muitas vezes, que não pode estar na cama tanto tempo e tem que se mexer muito, muito) admiro-lhe a força que também quero ter e gostava que a minha mãe lhe seguisse o exemplo. Que a força de viver parece que não veio com os genes.

Já disse que a minha avó fez 70 anos? :)

Eu, que estava à espera de uma ocasião especial para experimentar esta receita, achei que era uma excelente oportunidade! Quase consegui ouvir o suspiro de alívio da minha tia ao ler a mensagem que lhe mandei a dizer que deixasse o bolo por minha conta. É que no meio de tanto bolo e doce que havia para fazer, menos um foi uma grande ajuda.
Um bolo para repetir, sem dúvida, que o resultado foi espectacular! E o sabor... nham! Mas não tão cedo, é certo, que no fim de tudo a cozinha mais parecia que tinha caído lá uma bomba! Da próxima vez, no entanto, vou usar menos corante, de modo a que as cores fiquem suavezinhas. Quem sabe para o 1º aniversário da Matilde?

Ai... Ter uma menina...

...é uma maçada! :)

13 de junho de 2010

Passa horas a olhar para as mãozinhas.


Ai que lindas que elas são!

"Nesta idade os bebés também gostam muito de ver as mãos de ambos lados, continuamente. Esta é uma forma de aprender a coordenar as mãos e os olhos, o que lhes vai ser muito útil quando, cerca dos quatro meses, começarem a tentar alcançar os objectos."

(dos mails "Crescendo com a Dodot" que recebo)

11 de junho de 2010

Creme de Oreo

Foi a sobremesa de hoje.
E que bom que é!

Matilda


Quando escolhemos o nome da nossa filha, lembrava-me imensas vezes deste filme. Da Matilde (ou Matilda), a espalha-brasas. Este é mais um dos filmes mais bonitos que eu já vi. Um filme mágico, que me fez desejar que fosse possível e real. Uma história encantadora, uma menina muito docinha.

Sinopse:
"Ver o mundo pelos olhos de uma criança é sempre algo fascinante. No caso de Matilda é também absolutamente hilariante.
Matilda (Mara Wilson, Mrs. Doubtfire) é uma criança excepcionalmente inteligente. Infelizmente os seus pais (Danny DeVito e Rhea Perlman) vivem tão absorvidos com as suas disparatadas vidas que nem se apercebem dela.
Um dia enviam-na para Crunchell Hall, uma escola cuja directora é um verdadeiro monstro. Será uma encantadora professora que descobrirá os poderes mágicos de Matilda e juntas viverão incríveis peripécias. Com um sentido de humor subversivo e muita irreverência, Matilda é 'uma grande comédia, com uma grande mensagem. Os adultos riem-se tanto, se não mais do que as crianças'."

É procurar num videoclube :)

10 de junho de 2010

A luz...


...é uma das coisas que eu mais gosto na nossa casa. Dá vontade de ficar parada no tempo, a vê-la mover-se pelas paredes.

9 de junho de 2010

aiaimatilde®

Chegou a minha primeira encomenda!
Duas placas para o carro: uma para mim e outra para o papá (que era para ser surpresa, mas uma vez aqui, vai deixar de ser)!

Podem ver mais coisas lindas e fofinhas aqui, aqui e aqui.

Bom dia!

É isto que ela responde ao meu "Bom dia!", todas as manhãs.
Filha boa :)

8 de junho de 2010

Cresce filha, cresce!

Mais miminhos das amigas :)

Fomos, as cinco, ver.

(para quem já viu o filme)

E, mais uma vez, gostámos e fartámo-nos de rir. Já se sabe que todas as mulheres têm um pouco de cada uma delas, embora eu, por exemplo não me identifique minimamente com a sua obsessão por moda e malas caras. Ainda nos rimos à conta da situação da Charlotte, dado o meu recente papel de mamã. E cá entre nós, que ninguém nos ouve, percebo perfeitamente a mulher que perguntou à Carrie se seriam só eles os dois, para sempre. Respeito quem escolhe assim, mas não percebo como não sentem um vazio do tamanho do mundo. Para mim, dois é pouco, muito pouco. E estava esperançosa que no fim ela mudasse de ideias mas...
Adiante.
O melhor de tudo foi, também nós, termos feito há precisamente um ano, uma viagem a um país árabe - a Tunísia. Passámos o filme inteiro a dizer "connosco também foi assim". Senão vejamos as semelhanças:

Semelhança nº1 - O avião.
O nosso era igualzinho, sem tirar nem pôr. Assim que nos aproximámos do avião e vimos os "remendos", até trememos! A coisa ainda conseguiu melhorar, assim que entrámos e sentimos o cheirete a chichi que vinha das casas de banho e se espalhava por todo o avião. Uma maravilha.

Semelhança º2 - O espaço dentro do avião.
Elas tinham uma cabinezinha para cada uma e nós era mais ou menos a mesma coisa. Fomos 4 coladinhas umas às outras nos lugares centrais e uma num de dois lugares mais próximos da janela. Próximos, reparem bem, que ir à janela já era muito luxo. Valeu-nos a viagem de regresso, em que me foi atribuído um lugar em primeira classe (os de turística já estavam todos ocupados) e depois pedi para virem todas para a minha beira, uma vez que os lugares estavam praticamente todos livres.

Semelhança nº3 - As deslocações.
Quando elas chegaram ao aeroporto, tinham 4 carros à espera, uma para cada uma, para as levar ao hotel e para poderem passear durante a estadia. Connosco, como não podia deixar de ser, foi parecidíssimo. Fomos para o hotel numa camioneta com 50 lugares e ainda fomos amaldiçoadas por só termos dado 1€ de gorgeta ao homem que nos pôs as malas na bagageira. Para visitarmos o país íamos num táxi de 7 lugares (quando não era a pé) e já era com muita sorte.

Semelhança nº4 - O hotel.
Mais concretamente a vista que tínhamos do nosso quarto. Elas podiam ver a piscina, o mar... tudo e tudo e tudo. Nós tínhamos o que muita gente quer e não consegue: uma maravilhosa vista para as pedrinhas do telhado. Ó ó!


Semelhança nº5 - A experiência na piscina.
Elas estiveram a manhã toda a deliciar-se com o calorzinho na piscina, tempo bom, uma maravilha. Nós passamos a manhã toda a ganhar coragem para molhar os pés, de tão frio que estava e de tão gelada que estava a água. A custo, por volta do almoço, lá entrámos (aguínha até à cintura e já foi muito) para tirar umas fotos, que até parecia mal. Nas fotos, com jeitinho, conseguem ver-se os nossos lábios roxos.


Semelhança nº6 - O karaoke.
Pelos vistos o karaoke é o delírio nestes países. E o sucesso que elas fizeram a cantar I Am Woman (cuja letra é lindíssima) também nós fizémos a cantar a Garagem da Vizinha. Tal e qual, mais coisa menos coisa. A loucura.

Semelhança nº7 - O passaporte.
Esta é mesmo a sério. A Carrie esqueceu-se do passaporte no souk, eu esqueci-me dele na gaveta da cómoda do hotel. Teve toda a gente que voltar para trás (a camioneta de 50 lugares, lembram-se?) para eu ir buscar o passaporte, ou corria o risco de ficar na Tunísia por mais uma semaninha, coisa pouca. Que vergonha...
(Por falar em souk, são mil vezes piores do que parece no filme. Tudo cheio de gente, a agarrarem-nos os braços e a puxarem-nos para nos vender coisas. Quanto a nós, nunca na vida deixaríamos mais dinheiro por achar os sapatos baratinhos. Provavelmente estaríamos ali uma meia hora a regatear.)

E pronto, como se pode ver a viagem foi muito muito parecida. Só nos falta mesmo viver em Nova York! Bom... se calhar não foi assim tão parecida, mas foi tão fantástica ou mais. Com a vantagem de não termos sido expulsas a meio da semana :)

6 de junho de 2010

E já que estamos numa de dicas...

Chegaram finalmente, fez na passada sexta-feira 8 dias, os dois sacos da Felicitas que estava à espera. Digo finalmente porque o primeiro era para ter recebido ainda durante a gravidez mas como quando ele chegou eu estava cá no Porto, foi devolvido ao remetente. Quando mandei um e-mail a pedir o envio do segundo saco (que se recebe aquando do nascimento do bebé), pedi para reenviarem o primeiro mas por pouco estava a ver que também voltava para trás, uma vez que quando cheguei lá abaixo o aviso já estava há 3 dias na caixa de correio. Adiante. Tratam-se de sacos com pequenas ofertas, vales de desconto, amostras e miminhos para nós e para os bebés:


Para as interessadas:

Os sacos podem ser entregues nos locais onde se fazem as ecografias (1º saco) ou no local do nascimento do bebé (2º saco). Caso não recebam, podem inscrever-se no site e solicitar por e-mail o envio dos sacos - foi o que eu fiz.

Uma dicazinha para quem amamenta:

(que eu agora sou muito entendida no assunto, lol)

Antes de a Matilde nascer, quando fomos comprar as últimas coisinhas que faltavam, comprei também uma embalagem de discos protectores da Chicco (60 por quase 10€). Comprei estes porque me tinham dito que eram os mais confortáveis e que não deixavam passar o leite para a roupa. E de facto eram confortáveis, mas quando vi a rapidez com que a caixa se gastou, achei que ficariam demasiado caros. Experimentei então os do Modelo (30 por 3€) que, apesar de não serem iguais, servem perfeitamente e também não passa nada para a roupa.

Hoje pedi à minha mãe para me trazer discos e como ela faz compras no Pingo Doce, trouxe uma caixa da Neo Baby que traz 60 discos por cerca de 4,20€. Qual o meu espanto ao abrir a caixa, quando vejo que são exactamente iguais aos da Chicco, por menos de metade do preço. É que até os pacotinhos são os mesmos. Vim depois a descobrir que são fabricados pela Artsana, à qual a Chicco também pertence.
Como nunca tinha encontrado um caso em que tão descaradamente se pagasse mais pelo mesmo produto apenas por causa da marca, e como de facto os discos são mais confortáveis e absorventes (estes têm umas bolinhas de gelatina) achei por bem partilhar :)

4 de junho de 2010

Eu tenho dois amores...

...que em (quase) nada são iguais, mas não tenho a certeza de qual eu gosto mais!
É tão bom voltar a ser a menina da mamã.

E à conta deste post já se passou aqui um bom bocado a rir e a dançar eu tenho dois amores, vais partir, voltei voltei, entre outros grandes hits! lol Num Youtube perto de vocês.