30 de dezembro de 2012

Às 34 semanas da segunda gravidez...

34 semanas e 2kg de Gonçalo :)

...descubro o que são afinal as tais contracções de Braxton-Hicks. Na gravidez da Matilde cheguei a sentir-me ridícula por, às 40 semanas, me perguntarem se já tinha tido alguma contracção e eu não saber dizer se sim ou não, quer fosse de preparação ou mesmo à séria. De facto, não doem nada, mas são sem dúvida contracções - dificultam-me a respiração e a minha barriga fica dura como pedra.
Ao mesmo tempo que sei que este facto não significa nada, não consigo deixar de pensar que este bebé, ao contrário da irmã, não se deixará ficar para depois da data prevista. Algo me diz que vai ser mais despachado! A ver vamos.

29 de dezembro de 2012

Ser mãe:


Querer congelar o tempo, muitas e muitas vezes e sentir que podia ficar uma noite inteira só a vê-la dormir.

28 de dezembro de 2012

Brinquedos que fazem sucesso por cá.


No ano passado recebeu 11 bebés, duas camas, dois carrinhos de passeio, uma cadeira da papa e outros acessórios e brinquedos do género, mas por incrível que pareça, aos quase 3 anos ainda não tinha nenhum conjunto de peças de construção. Aliás, tinha meia dúzia de peças de marcas diferentes que vieram não sei de onde e que, para além de serem já demasiado simples para a idade dela, não davam para construir nada de especial. Já andava a querer comprar-lhos há algum tempo, mas tenho que admitir que os acho demasiado caros para o número de peças que cada caixa traz. Este ano o Continente estava com 50% de desconto e foi a oportunidade perfeita. Escolhemos 3 caixas diferentes (duas do Pooh e uma maior que tem um supermercado e uma bomba de gasolina com um carro e uma mota como a do papá) e, apesar de não ser um brinquedo tipicamente de menina (resistimos à tentação de trazer uma caixa que trazia uma princesa), ela tem adorado. Ainda fiquei de olho nas caixas das letras e dos números, mas fica para a próxima. No outro dia o Bruno dizia-me "Já percebi porque é que querias dar-lhe Legos, era para tu brincares também!" mas a verdade é que sempre que ela despeja a caixa no tapete, alguém pára o que está a fazer e vai também fazer construções. Hoje foram os tios que largaram a PS3 e a PSP (!!) e aterraram no tapete a brincar :)

Coincidências.

Ontem, enquanto me passeava pelo Pinterest, encontrei esta ideia fantástica de presente de Natal feito em casa: Cookies in a Jar. Não lamentei o facto de não a ter visto antes de Natal porque a verdade é que ideias eu já tinha, faltou-me o tempo e a capacidade de organização, pelo que me restou repetir o mantra de todos os anos: "para o ano vai correr melhor!". Basicamente trata-se de uma mistura de ingredientes para preparar bolachas, à qual apenas é necessário acrescentar 2 ou 3 coisas e pôr as mãos na massa!

(clicar para aumentar)
Para além de ter adorado a ideia, achei os frascos deliciosos e as etiquetas de muito bom gosto (e estão disponíveis para download!). Pensando que as tampas teriam sido pintadas em casa (eu, por exemplo, guardo tudo o que é frasquinho para depois aproveitar para doces e este tipo de coisas) perguntei-me como teria sido feito aquele efeito tão giro.
No mesmíssimo dia, passei nos chinocas aqui ao pé de casa à procura de um caixote do lixo novo e, qual não é o meu espanto, dei de caras com os ditos frascos!! Escusado será dizer que se tivesse andado à procura deles (ou de outros idênticos que dessem para o mesmo efeito) nunca os encontraria, não é? :) Havia-os em vários tamanhos e feitios, sempre com estas tampas giras! Fiquei com vontade de trazer vários, sobretudo uns grandões de 2L que lá estavam, mesmo jeitosos para coisas maiores. Acabei por trazer só 3 de 1L (1€ cada), que ficam ali guardados até surgir uma oportunidade de os utilizar :)
Fica a ideia para o próximo Natal ou, quem sabe, para oferecer durante o ano!

24 de dezembro de 2012

Natal '12


...e nós quase 4 :)

22 de dezembro de 2012

Daqui.
Estão a ver aquela mesa ali? Disse-me um passarinho que já esteve mais longe de vir morar cá para casa :)) Estou desejosa de dar uma reviravolta aqui ao estaminé! Uma boa mesa para cortar, estantes branquinhas para arrumar tecidos e outros materiais, um organizador de linhas, alguns quadros na parede... há-de ficar um mimo!

21 de dezembro de 2012

Acordar.


Mimos destes acontecem só mesmo "quando o rei faz anos"... mas é por isso mesmo que sabem tão bem!

20 de dezembro de 2012

Ideias luminosas!

"Ah e tal, este ano, para além das almofadas de caroços de cerejas, vou fazer também umas almofadinhas de trigo e alfazema!" Vai daí, descobri que o meu avô tinha um saco gigante de trigo em casa e pedi-lhe um saco cheio, que trouxe da aldeia e ficou ali a aguardar pacientemente que eu arranjasse um bocadinho de tempo para fazer as ditas almofadas. Resultado: uma infestação de gorgulho!! Começou por aparecer um bichinho aqui, outro acolá... mas por serem tão minúsculos nem me fizeram confusão, pensei que tivessem entrado pela janela aberta. Até que começaram a ser imensos e a aparecer em toda a parte! O Bruno bem me dizia "isto parece o bichinho do arroz" mas eu lá me lembrava que ainda estava ali o trigo?? Ficou insuportável quando percebeu que afinal tinha razão!!
Agora, não sei se estou mais chateada por ter andado ali algumas horas a virar o quarto do avesso (mas julgo que me livrei deles!) e por ter ficado sem almofadas e sem trigo, se estou feliz por não ter feito as almofadas!! Será que acontecia o mesmo ou foi por o trigo estar num saco fechado? Já vi destas almofadas em tantos sítios, gostava de saber se alguma vez alguma ganhou bicho! Blhec!

19 de dezembro de 2012

Einstein!

Não sei o que se passou, mas este mês recebemos uma conta de 150€ de luz para pagar. Enquanto o chefe reclamava por eu estar com o aquecedor ligado (de manhã cedinho, logo depois de sair do ninho, uma pessoa tem frio pá!), a pérola: "Fechas a porta!... Percebes? Contigo a respirar e assim... daqui por umas horas o quarto está quente!!" De facto, como é que ninguém se lembrou disto antes? Aquecedores para quê, pessoas? Aqueçam vocês mesmos as vossas casas... a respirar e assim!! lol

(no telejornal já ouvi dizer que em Janeiro a luz e a água aumentam outra vez. quando é que isto acaba, mesmo?? um dia destes troco a minha máquina de costura eléctrica por uma a pedal! já para não falar no facto de viver num dos concelhos em que a água é mais cara...)

17 de dezembro de 2012

Tempo.

Deitada na cama da minha filha, com ela enroscadinha em mim, relembro que já passaram 2 anos e 9 meses. Tanto tempo, mas ela continua a ser a minha bebé. Braços e pernas pequeninas, mãos e pés ainda rechonchudos. Já diz tudo e conversa como gente crescida, mas grande parte das palavras ainda têm a deliciosa pronúncia de bebé. Os dias vêm uns atrás dos outros e não esperam por ninguém. Daqui por uns anos vou querê-la ao pé de mim, vou querer desenhar e pintar com ela e talvez ela me mande dar uma curva e se enfie no quarto no meio das suas coisas. Hoje ainda chama pela mamã, quando acorda de um sonho mau, ainda vem ao pé de mim e diz "anda pá xala bincar comigo". Enroscadinha na cama dela, a contemplar este corpo pequenino, só gostava de conseguir que o tempo parasse, de conseguir agarrar esta sensação nas minhas mãos e guardá-la num frasquinho bem fechado, para poder voltar a ela a qualquer momento, para o resto da minha vida.

11 de dezembro de 2012

É só mais um bocadinho.

Aguardo ansiosa que o novo ano comece. Acho que quando passar esta atribulada época das festas, até vou achar que é mentira. Ando esquecida, desorganizada, desorientada. Tenho mensagens e e-mails por responder, roupa por passar e devem contar-se pelos dedos de uma mão as vezes que cozinhei nas últimas semanas. Nesta 2ª gravidez, já me baldei a duas consultas de saúde materna (um baldar responsável, que eu sou menina bem comportada e aviso e remarco sempre). Uma coisa impressionante, visto que as consultas sempre foram momentos ansiados. Apesar de ter a roupa do Gonçalo toda a jeito, falta-me a parte mais difícil: lavar, passar e arrumar. Mandámos lacar de branco o berço que era da Matilde, falta-nos ir buscá-lo e repensar o nosso quarto para receber um novo bebé. Falta-me costurar 1001 ideias para ele e, ao mesmo tempo, despachar algumas encomendas que, inevitavelmente tive que agendar para o início do próximo ano. E falta-me, acima de tudo, guardar algum tempo para descansar, para voltar a ser uma mãe mais disponível e uma dona de casa mais dedicada. Ai 2013... chega depressa, sim?