30 de novembro de 2011

Gosto tanto do Ikea...

 

...que às vezes me apetece dar-lhe beijinhos.

Não há uma única vez que eu não me passeie pelo site sem ficar deliciada. Desta vez foi com estes guardanapos dobrados em forma de pequenos pássaros em origami. Clicar aqui para ver o tutorial.


Para sempre não é um ideal tão bonito?

28 de novembro de 2011

Quando pensamos que já vimos de tudo...

Ontem, no supermercado, enquanto procurava daqueles lenços com cheirinho a lavanda (deu-me saudades!) dei com estes lenços da Renova. Podem não acreditar, mas eu fiquei a olhar para o pacote uns segundos, enquanto o meu cérebro tentava assimilar o que lia. Sabem aquela sensação de estar a ver alguém ou a ler alguma coisa fora do contexto habitual? Pois. É que, ao contrário do que mostra esta fotografia, o pacote que eu tinha na mão dizia "enriquecidos com vitamina C e E". Vale a pena ler a publicidade da Renova, aqui.
Pior do que pensar que possam existir por aí pessoas que acreditem que uns lenços vitaminados podem ter qualquer efeito na prevenção seja do que for, é tentar imaginar que raio terá passado pela cabeça das almas que se lembraram de inventar isto!... Já não há noção do ridículo? Ou o problema sou mesmo eu?

27 de novembro de 2011

Domingos

Uma das coisas que mais valorizo numa casa é a luz. Em Samora, às vezes passava grandes bocados a ver a luz inundar as divisões. Desde o meio da tarde, até ao final do dia, toda a casa ficava com uma luz maravilhosa. Nesta casa, a luz que bate na sala a partir da hora de almoço, compensa sem sombra de dúvidas a metade da casa que nunca apanha sol directo, devido à orientação do prédio e aos edifícios que o rodeiam. E eu não sei se já tinha dito, mas a nossa sala é um dos melhores sítios do mundo para se estar, nestas tardes de Domingo frias mas cheias de Sol.



Tenho andado ausente, bem sei, mas não por falta de lembrança. Nos últimos tempos têm passado pela minha cabeça muitos posts, embora nunca cheguem a ser escritos. Acontece que nos momentos em que não estou a trabalhar em Lisboa, ou nos transportes, ou a cuidar da Matilde, ou a preparar aulas, ou a limpar a casa, ou a passar a ferro, ou a cozinhar... só quero sentar-me no sofá (de preferência agarradinha, o que também tem sido difícil) e tentar não pensar que no dia seguinte tudo recomeça. Por isso é que eu digo: tardes como a de hoje em que, enquanto a Matilde dormia, eu pude saborear esta luz que me inundava a sala e dormir uma boa sesta, não deveriam acabar nunca.

11 de novembro de 2011

Nham.


Assadas, cozidas só com sal ou com erva-doce. Sempre quentes, sempre boas :)
Bom S. Martinho!

10 de novembro de 2011

Era uma vez uma surpresa...




Estas imagens vieram daqui e ilustram na perfeição a surpresa que o Bruno tinha programada para me fazer, ontem. Já disse aqui que o trabalho do meu namorado é muito, muito chato. Aqui há tempos, vejam só, teve que ir andar de balão, coitadinho. Este ano decidiu aproveitar alguns dos contactos com que ficou nessa altura e íamos ao 15º Festival Internacional de Balonismo (em Alter-do-Chão, no Alentejo), a bordo de um dos balões concorrentes.
Fomos de véspera, passámos lá a noite e levantámo-nos às 6h15 da manhã, na esperança de podermos "voar" mas a chuva foi tanta que não houve balões para ninguém. Não dá para explicar como fiquei feliz quando percebi de que surpresa se tratava e como, depois, fiquei tão triste. Conta a intenção, é certo, e o suspense ao longo das duas semanas que precederam esta escapadinha, mas o que eu queria mesma era ter andado lá no alto. Para o ano, talvez. Resta-me continuar a sonhar... snif.

8 de novembro de 2011

Coração mole.

Vejo estas coisas bonitas e fico logo toda derretida... gostava tanto de saber tricotar! Lá vou eu ter que pedinchar à minha mãe uns gorros amorosos para a Matilde. Afinal, o frio veio para ficar e a criança tem que andar protegida, não é verdade?

Já agora, que venha um bebézinho destes anexado ao gorro, que eu já tenho saudades! ;)

6 de novembro de 2011

Relicário.


Segundo o que o Bruno me disse depois, foi preciso procurar em 23 ourivesarias (mais as que a minha sogra viu por ele) para encontrar um relicário (não sabia que era assim que se chamava). Na manhã do dia dos meus anos, logo depois de acordar, entregou-mo numa caixinha mimosa, já com duas fotografias dentro. Uma coisa simples que, ao que parece, deixou de ter procura (as minhas amigas bem dizem que eu tenho gostos antigos) mas que eu já andava a desejar há muito tempo e me deixou imensamente feliz :) ♥ 

4 de novembro de 2011

Pirosa linda.


Eu sei que sou suspeita para falar, mas o raio da miúda é mesmo gira, pá! :)

2 de novembro de 2011

Tardes de chuva.

Conheci este bolo através da Ana Rute, já lá vai algum tempo. Não tardei muito a experimentar e desde a primeira vez que o fiz (para o aniversário do meu sogro - há um ano, portanto) que foi um êxito. Confesso que ia cheia de medo, porque tinha provado a massa crua e odiei. Continuo a odiar, por isso aconselho desde já os que gostam "lamber a taça" para não se entusiasmarem muito. Depois do sucesso dessa primeira vez (ao quadrado, visto ser uma casa de sportinguistas ferrenhos!) já o fiz várias vezes em aniversários, lanches e nas "festas" de despedida dos cursos de Alimentação e Nutrição que dei como formadora. É sempre muito giro ver toda a gente a tentar adivinhar que ingrediente esconde esta massa verde :)
Hoje foi dia de matar saudades. A receita é a de sempre, mas em vez de usar 150ml de óleo, uso sempre 100ml de azeite. Estranhamente, desta vez ficou um bocadinho cru em cima (para consolo do Bruno), mas ficou igualmente bom.



Bolo de agrião, chá e chuva lá fora. Há momentos perfeitos.

Vinte e Seis (tantos!)

No passado dia 27 de Outubro aqui a je fez aninhos. Pois é, ninguém merece levantar-se às 6h15 da manhã no dia de anos mas, coitadinha de mim, teve que ser. O dia foi calmo, valha-nos isso, senão teria chegado a casa sem forças para, sequer, soprar (faço-vos as vontadinhas todas!) as velas. É mais um ano que passo longe do Porto, longe dos que me viram crescer e dos que viveram comigo toda a minha vida mas, ano após ano, vou percebendo que, de facto, esta é a minha casa, o meu lar... e a minha família. Nós os três. O coração fica apertadinho mas olho à volta e vejo os esforços dos que gostam de mim para que este dia seja especial, apesar dos que estão ausentes.
A minha sogra tratou do jantar e do bolo de aniversário e alguns dos amigos e familiares apareceram depois para cantar os Parabéns. Para risota geral, o pasteleiro enganou-se e, sem querer, o bolo teve um cheirinho do Norte :)


Soube depois que era suposto a minha mãe ter chegado a tempo dos Parabéns, mas que não teve comboio... Muitos mimos, muitas mensagens de carinho e muitos presentinhos fizeram deste, um dia especial. Eu cá não entendo como há gente que não gosta de fazer anos! :)

1 de novembro de 2011

♥ planificadores IKEA

(clicar para aumentar)
Enquanto ela não vem, nós vamos brincando. Já decidimos que combinação vamos fazer e fica exactamente da largura que precisamos. Só gostava que o preço fosse este :) No final de Agosto trouxe TODOS os meus livros do Porto e já estou a desesperar de os ver ali todos em sacos do Pingo Doce a estorvar... É frustrante estar sempre a pensar na quantidade de coisas que ainda queremos comprar para a casa e todos os meses constatar que o dinheiro não estica. Inspira, expira... já faltou mais!