31 de agosto de 2012

Da terra.

Os meus avós maternos sempre tiveram quintal e galinhas. Por isso, sempre que eu e os meus pais íamos à aldeia, vínhamos com o carro cheio. Desde que vim para baixo e desde que começámos a ir ao Porto de carro, volta e meia também trazíamos algumas coisas. É tão bom! Este ano, o meu pai mudou-se para uma casa com terreno e também cultivou uma horta. De maneira que, de ambos os lados, trouxemos o carro cheio com abóbora, courgette, batatas, cebolas, tomate, alface, pimento, penca e feijão verde. Ficámos com o frigorífico cheio, uma delícia!! Só tenho pena de não ir lá mais vezes, por este e por todos os motivos :)
A parte menos boa da história é que... vamos de férias amanhã e por isso as últimas horas têm sido a lavar, cortar e a escaldar grande parte dos legumes, para de seguida os congelar e evitar que se estragem! E já não cabe mais nada, nadinha na minha arca! Ufaaa!

27 de agosto de 2012

Depois de quase uma década...

Imagens retiradas da net.

...parece que é este ano que voltamos ao sítio onde nos conhecemos e onde passei as férias durante grande parte da minha infância e adolescência (no tempo em que eu, o meu irmão, o meu pai e a minha mãe ainda éramos uma família). Ainda não estou bem em mim, acho que só acredito quando pousar os meus ricos pezinhos em Pedras del Rei. Diz que é já para a semana :)

13 de agosto de 2012

Curtas.

Estes "terrible two" têm trazido algumas lágrimas (minhas e dela) mas também muitas gargalhadas. Está a entrar naquela fase gira em que começa a pôr o mundo por palavras dela e constrói frases compridas e com sentido. Dispensavam-se bem as birras sucessivas, mas ainda assim, tem sido muito bom! :) Dois episódios, dos muitos que vão acontecendo:

De madrugada, Matilde Colaço em pé encostada à nossa cama:
- Mamã?
- (...)
- Mamã?
- (...)
- Mano??
(só lhe faltava mesmo um "oláaaa?? está aí alguém?")

Eu e a Matilde, a vermos num dos seus livros preferidos (sobre a quinta), a imagem de uma porca a amamentar os porquinhos:
Eu: Vês, é a mamã porca a dar leitinho aos porquinhos.
Ela: Tem maminhas!
Eu: Tem.
Ela (a apontar): A mamã também tem maminhas!!
Eu: Pois tenho... é para dar leitinho ao...??
Ela: PORCO!!