20 de setembro de 2010

Hoje foi o primeiro dia de escolinha.

Deixei a Matilde na creche, risonha como sempre e muito caladinha (estava cheia de sono). Se a deitassem estou certa que adormecia, mas ficou na espreguiçadeira, muito espantada a olhar para o bebé do lado, que não parava de chorar. Enquanto isso, uma outra mãe deixava o seu bebé também ele a soluçar.
A minha bebé não chorou no seu primeiro dia de escolinha mas eu, assim que cheguei ao carro, chorei que chegasse para as duas.

18 de setembro de 2010

Já foi no dia 4 de Setembro...

...que a Selminha casou. E eu, que andava à procura de palavras bonitas para escrever, li o que a Rebeca escreveu e percebi que ela tinha dito tudo e de uma maneira absolutamente linda. Já houve um tempo em que eu também pensei assim. E apesar de as decisões que tomei me terem levado por caminhos diferentes, e de não me arrepender dessas mesmas decisões (que resultaram numa linda Matilde :)), de facto, o Casamento pela Igreja, com vestido branco, noite de núpcias, lua-de-mel e toda pompa e circunstância, só faz sentido assim. E essa ideia assaltou-me várias vezes o pensamento durante toda a cerimónia enquanto imaginava a felicidade que deveria estar nos seus corações.


Desejo-vos muitas, muitas felicidades, Selma e Rúben. Muitas mesmo :)

P.S. Desculpa, Rebeca, mas incrivelmente as únicas fotos que eu tinha dos noivos juntos eram na primeira dança!

8 ou 80

Este blog devia chamar-se "Oito ou Oitenta" em vez de "Bom Feeling". Sério! É que ou eu escrevo tudo... ou não escrevo nada, sou uma inconstante. É no que dá ter imensos empregos e uma vida social muito agitada, uma canseira :) lol
Prometo que volto (com mais regularidade) quando voltar a ter net (e casa, já agora, que também dava jeito).

A Matilde já tem 6 meses!

Foi há 6 meses que colocaram em cima de mim, encostadinha ao meu peito, uma coisinha linda e pequenina que já se chamava Matilde. Foi há 6 meses que eu descobri o que era pegar ao colo algo que tinha estado durante 9 meses a crescer na minha barriga e que era uma parte de mim. Foi há 6 meses. E seis meses é meio ano! Passa mesmo rápido.


É risonha desde que nasceu e encanta por onde passa. Nunca estranha colos e é simpática para quem quer que meta conversa com ela. É calminha e é capaz de estar uma tarde inteira entretida sozinha a brincar, só fica mais agitada quando tem fome ou sono. Se a deitamos rebola e num segundo fica de barriga para baixo a rir-se para nós. Quer agarrar tudo e, claro está, meter à boca. Palra muito e dá gritinhos de satisfação. Ri-se à gargalhada quando brincamos com ela e derrete-nos o coração. Acorda a sorrir e eu acho que ela não sabe chorar lá muito bem. Nós, que nunca tivemos filhos só conhecemos isto, mas quem passa umas horas com ela e percebe que ela é sempre assim só nos diz que somos uns sortudos e que ela é mesmo um anjinho. Que nós não sabemos o que é ter filhos. Nós, que queremos mais bebés, começamos a temer que esta filha-anjinho esteja a pôr a fasquia lá muito no topo para os irmãos, coitadinhos :) Só não dorme ainda as noites completas... acho que vou ter que enviar uma reclamaçaozinha ao fabricante!
É esta a nossa Matilde!

O meu namorado fotografa casamentos...

www.brunocolaco.com
...e eu gosto tanto do trabalho dele que, se um dia me casar, o contrato! A não ser que ele já esteja ocupado, claro :)

13 de setembro de 2010

Faz hoje 10 anos...

AVISO: Este post é tão lamechas que pode fazer mal à saúde.

...que conheci o amor da minha vida. (Eu avisei!) Foi nas férias de Verão, no Algarve. Escrevemos cartas um ao outro durante um ano inteiro e no ano seguinte, novamente em Setembro e novamente no mesmo sítio, voltamos a encontrar-nos. Depois disto ainda nos escrevemos mais uma ou duas vezes mas acabámos por nos afastar. O Bruno ainda tem todas as cartas que eu lhe escrevi (que me fazem rir de cada vez que as leio) e eu tenho tanta pena de já não ter as dele...
Depois de muitas voltas, voltámos a encontrar-nos 6 anos depois e a distância já não nos pregou uma partida. Em Setembro de 2008 fomos viver juntos e hoje temos uma filha linda que é nossa só nossa. Somos a prova de que não, os amores de Verão, não ficam enterrados na areia. Alguns, pelo menos, só ficam até um dia.
A ver se, depois da confusão das mudanças, encontro uma fotografia "mostrável" para publicar quando voltar a ter net :)