15 de março de 2010

À nossa porta...



...a Primavera já espreita :)

13 de março de 2010

Eu sou do tempo... #4



...do Rei Leão!

Hakuna Matata! :)

E quando fico mais ansiosa por o dia 10 já ter passado...

...ponho-me no lugar desta mãe e percebo o quão parva sou.

"I don't know how to be a good mother to a baby who I can only see a few hours a day. And I don't know how to cope with knowing that sometimes she lays there awake in her crib with no one to interact with her because there are other babies to feed and care for."

Deve doer tanto, tanto.

12 de março de 2010

37 semanas, aos olhos da Selma :)

Ser fotografada não é propriamente algo que aprecie. Gosto obviamente de ter fotografias minhas mas poses e sorrisos, ao fim de 5 minutos, começam a deixar qualquer um desconfortável. Com a Selma foi tudo muito espontâneo e natural e a maioria das fotos "distraída" são de facto distraída, descontraída, sem grande pressão por ter uma objectiva apontada à minha cara (e à minha barriga). E isso foi tão bom! Sem contar com o romantismo que está presente em todas as suas fotografias. Como diz o meu namorado, "as mulheres vêm as coisas com outros olhos, têm uma sensibilidade diferente para a fotografia".



A Selma é uma dessas mulheres :)

Mais fotografias aqui, no cantinho dela.

11 de março de 2010

É oficial:

Passámos da validade.

Matildezinha, eu sei que era muito giro nasceres no Dia do Pai. E também concordo que seria mais poético chegares com a Primavera... mas lamento. É que só pagaste a renda até ontem... e só te damos mais uma semana para arrumares as tuas coisinhas. Por isso aproveita o solinho que se faz sentir e anda cá para fora que está toda a gente à tua espera, sim? :)

9 de março de 2010

Precisar

1. calcular ou indicar de modo preciso; determinar; explicitar; particularizar

2.
ter precisão de; necessitar de; carecer de

Não se trata de querer, percebem?


Eu PRECISO de aprender a fazer estas coisas.

Alguém conhece cursos (pequenos e baratos, se possível)? Um workshop não me parece suficiente para quem tem tão pouca experiência quanto eu... E já agora, alguém alinha a ir comigo?? =)

Chegou!! :)



Tanto o cobicei, que me foi oferecido :) É lindo ou não é? Por aqui vou (vamos!) treinando, enquanto a Matilde não chega.

Obrigada pelas opiniões! A minha indecisão incluía tudo o que disseram, o dar para um futuro menino, o combinar com o máximo de roupa possível, o ser alegre e colorido... daí ter colocado os três. Mas no fundo, no fundo, sempre gostei mais deste e foi o que acabei por escolher :)

8 de março de 2010

Disseram-me para ir...

...e eu fui.

Saí de casa determinada a andar, a andar muito. Desde a semana passada que ando para ir dar umas voltas, a ver se a coisa acelera, mas a falta de companhia e este tempo que até irrita não têm ajudado. Eram 16h10 e chuviscava. Saí de casa e ri-me para a chuva: pensas que hoje eu não vou, estás enganadinha! [Que uma pessoa chega a um ponto e começa a falar sozinha: com a chuva, com o fogão, é uma verdade...] Munida de guarda-chuva e com uma garrafa de água na mala, meti pés ao caminho, decidida a ir pelo menos aos correios e ao supermercado. Quando saí dos correios já quase podia jurar que não estava assim tanto vento mas foi quando já ia a meio do caminho para o supermercado que a coisa complicou. Agora já estou aqui, pensei eu, não vou voltar para trás.

E pronto. Não vale a pena entrar em mais detalhes, já se adivinha como é que eu cheguei a casa. É que quando se vai a pé para algum lado, há uma parte da coisa que muitas vezes nos passa ao lado: é aquela parte em que temos que voltar... a pé.
Cheguei a casa às 18h10 (duas horas depois, e acreditem que eu tenho o passo rápido) molhadinha até aos ossos. Mala num ombro, guarda-chuva numa mão, 3 sacos na outra e a andar de pernas abertas, a tentar que as calças não me caíssem pelo rabo abaixo, tal era o peso da água. Até me podiam ter rebentado as águas naquele momento, que eu não conseguiria ficar mais molhada. E enquanto vinha para casa, a sentir as pernas a fraquejar e a barriga apertadinha, eu só pensava: Oupa Matilde (ler com pronúncia do norte), toca a sair daí, que desta semana não passas.

Amanhã, vou outra vez. Nem que seja de galochas.

Do ter.

Posso não ter muitas coisas, mas tenho o mais importante. Tenho a melhor mãe do mundo, tenho o melhor namorado do mundo, tenho a melhor filha do mundo na barriga (pelo menos até virem os irmãos) e tenho as melhores amigas do mundo.

Estas amigas são daquelas que sabemos que vão lá estar, independentemente de tudo o que aconteça. Com quem nos podemos até chatear, mas que no minuto seguinte já está tudo bem outra vez. Conheci-as na faculdade e passamos 4 anos inteirinhos juntas. Partilhamos a praxe, as imposições, as queimas das fitas, os cortejos. Umas vezes mais sóbrias que outras, é certo. Fizemos jantaradas, dormimos juntas vezes sem conta. Partilhámos anseios, dúvidas e muitas épocas de exames. Partilhámos aniversários, jantares de Natal, troquinhas de presentes e conversas só nossas, muito nossas. Todas essas coisas pirosas que as miúdas fazem e muito mais. Quando chegámos ao fim do curso, estivemos todas na praça dos Leões a meio da noite para rasgar as capas umas das outras. Na minha eu sei exactamente que rasgão foi feito por quem. Quando chegou a hora do estágio, decidimos que teríamos de arranjar uma forma de nos mantermos em contacto, apesar da distância, e criámos um blogue. Um blogue privado ao qual só nós temos acesso. Onde escrevemos sobre tudo, desde tristezas e desabafos a parvoíces e banalidades. E se no início eu cheguei a pensar que seria apenas enquanto era novidade, hoje olho para o histórico e percebo que já existe desde 2008 e eu nem dei conta do tempo passar. Sou a que está mais longe das outras mas ainda assim, sinto que estão sempre presentes. Têm vibrado com a "nossa" primeira gravidez e auto-intitulam-se de tias babadas, com toda a razão. Nestes dias, vivem ansiosas por conhecer a Matilde, tal como eu, ansiosas por se meterem num comboio e por a ter nos braços. Sabemos umas das outras como se estivéssemos juntas todos os dias. E quanto de facto nos encontramos e trocamos abraços, eu sei que está tudo na mesma... e fico feliz.

Tenho as melhores amigas do mundo, já disse?
E, se Deus quiser, há-de ser para o resto da vida.

Ah, e já agora, Feliz Dia da Mulher para nós todas! :)

7 de março de 2010

Procrastinação.

Li, há dias, este post. Não percebi de que se tratava e escrevi, num post-it mental: ver significado. Passaram-se dias e hoje voltei lá, ainda sem saber o que raio aquilo quereria dizer. É que a minha vida é feita de post-its (mentais ou não) por concretizar. Não fui logo procurar o significado (que o google é uma ferramenta muito complicada de utilizar), primeiro decidi ler os comentários. Como continuei sem perceber, tentei visualizar o filme que uma das leitoras referia, acerca do assunto. E só quando percebi que não iria ver filme nenhum, uma vez que ele já não existia, é que me dei ao trabalho de ir pesquisar.

Surpresa das surpresas: sou uma procrastinadora. E a coisa é grave.

Eu sou do tempo... #3

...em que todos vibravam com o Festival Eurovisão da Canção. Destas vou lembrar-me até ser velhinha.


1992
Dina - Amor d'água fresca


1993
Anabela - A Cidade até ser dia


1994
Sara Tavares - Chamar a música

6 de março de 2010

Preciosidades.

 

Foi a minha mãe que a fez e para mim é absolutamente linda. É da Matilde e se depender de mim, um dia há-de embrulhar também os bebés dela. Só me falta babar de cada vez que olho :)

4 de março de 2010

Eu sou do tempo... #2

...das gorila!!

Tirando a parte em que ficam duras como calhaus ao fim de 5 minutos, eram as melhores chiclas (ou pastilhas, para as gentes do sul) do mundo!

Quantos?

A barra ali em cima diz que faltam 6 dias. Pois. Mas quem manda mesmo é ela e eu ando num estado que nem sei. Ontem, na maternidade, ouço um "uuuuiiii, isto ainda está muito fechado, tem que caminhar muito muito, para ver se aceleramos a coisa" seguindo-se as palavras "provocar" e "parto" na mesma frase. E que o fazem às 41 semanas, que é quando ainda estar na barriga traz mais riscos que benefícios. E eu tenho a minha cabeça a andar à roda. Esta noite foi das piores que tive nos últimos tempos. Dores no corpo todo, pesadelos com dilatações, caminhadas e partos provocados. Nariz entupido e muitas dores de cabeça. Dois ben-u-ron's já marcharam. Já não basta não saber o que me espera, nem quando... E ainda por cima aqui sozinha, que as desgraças vendem muitos jornais... e mal sabemos nós que há criaturas que podem ser pais a qualquer momento (ou então não, sei lá eu) e mesmo assim se metem num avião.

Este post não faz muito sentido pois não? Nem eu, mas também não importa.

1 de março de 2010

Na minha agenda...


Março é o mês da Matilde.