31 de janeiro de 2013

...

Eu ia escrever um post a lamentar-me do quanto estou cansada e exausta e ansiosa que esta barriga desapareça. De como cada manhã é uma tortura para me levantar, de como me doem todos os ossinhos deste meu corpinho em geral, e os da bacia em particular. De como todas as noites abro a cama a pensar "não, outra vez não". De como ontem tive consulta das 39 semanas, que afinal são 38, e de como tive uma conversa acesa com o médico porque ele é que sabe e eu é que sei e ele é que sabe e eu também tenho voto na matéria e eu sou hipertensa e eu já devia estar a parir e eu sou parva (ou quase) e eu posso ir de urgência para o hospital e depois aí quero ver quem é que manda aqui nisto tudo.

Eu ia escrever sobre estas coisas todas, mas é melhor ir ali passar aquela roupita a ferro e acabar mais umas fraldinhas de pano, que não me posso enervar, que sou hipertensa...

28 de janeiro de 2013


Tenho em mãos o conjuntinho que estou a fazer para o Gonçalo.
Este leva amor em dose dupla :)







Um bebé a chegar e um quarto a encolher :)

27 de janeiro de 2013

Yo!


Vinham no meio de vários outros pares de sapatinhos e junto com muita roupa que um colega de trabalho do Bruno (com dois filhos rapazes pequenos e sem planos de ter mais nenhum) nos ofereceu. Temos recebido tantas coisas lindas para este bebé Gonçalo! Sobretudo para os primeiros tempos. Não são tão giros?? É impressionante a quantidade de calçado que pode ter uma criaturinha que nem sequer vai andar com os pés no chão tão cedo ;)

25 de janeiro de 2013

A.do.ro!


Porque fazer só babetes politicamente correctas, bonitinhas, delicadinhas e em azul bebé... é uma chatice :) Há por aí ideias tão giras, que não resisti!! Estas são para um miúdo giro que está por aí a chegar!

:)


Ainda sobre o assunto do outro dia, nem de propósito, hoje passei no Modelo e estava uma ilha cheia de toalhas de várias cores e feitios à venda ao peso, coisa que nunca tinha visto por lá! Estavam a 7,90€/kg (ao mesmo preço a que as costumo comprar) com 30% de desconto em cartão, ou seja 5,53€. Compensa bem para quem é cliente habitual deste supermercado (como é o nosso caso)!! Agora que fiz as contas até fiquei com pena de não ter trazido mais, mas por acaso nem tinha levado o multibanco... e confesso que também me custa um pouco estar a investir em material sabendo que vou estar parada uns tempos. De qualquer forma, aproveitei para trazer estas 5 toalhas de diferentes cores e espessuras (4 de rosto e 1 de banho, branca*), que deu um total de aproximadamente 1,1kg. As creme com riscas coloridas são tão giras que nem sei se serei capaz de lhes por a tesoura em cima! Com jeitinho ainda as corto só a meio, coso uma fitinha de viés e fico com uns panos giros para a minha cozinha ;)

* deixem-me só acrescentar que na semana passada comprei, no mesmo sítio (porque não queria ir a Lisboa de propósito), uma toalha de banho branca simples por 9,90€. Com a desvantagem que trazia, ao contrário da que comprei hoje, umas barras lisas que fizeram com que o que poderia dar para duas toalhas de bebé (que era a intenção), desse só para uma. Escusado será dizer que já me arrependi e muito!

24 de janeiro de 2013

O Impossível.

 


Vimos este filme ontem à noite, depois de deitar a Matilde, porque o Bruno tinha ido fotografar a antestreia em trabalho e não parava de falar sobre isso. Eu já estava mais para lá que para cá quando o filme começou, mas depois das primeiras cenas foi impossível adormecer (que é o que tem acontecido sempre, nos últimos tempos, e me valeu um "uau! não adormeceste!" quando o filme terminou). Cheia de vontade de abraçar a Matilde e de a aninhar no meu colo, fartei-me de chorar o tempo todo, enquanto repetia para mim mesma "somos mesmo pequeninos e insignificantes". Fazemos e acontecemos, sem pensar que basta um estalar de dedos para que tudo à nossa volta se desmorone, a nossa vida se vire do avesso e tudo o que temos como certo desapareça. Aliás, o pequeno caos que se instalou no fim de semana passado é um exemplo do quanto um pouco de vento e uma chuvinha a mais podem baralhar os nossos dias irritantemente previsíveis. E mais: somos, regra geral, muito mal-agradecidos quanto ao muito que temos. Vemos as notícias na televisão e lamentamos mas, nesta nossa "bolha actimel", não fazemos a mais pequena ideia do que se passa do outro lado do mundo. Nem queremos.
Estreia hoje e é baseado na história verídica de uma família espanhola (que no filme passou a inglesa, por motivos comerciais), colhida pelo tsunami de 2004, na Tailândia. A ver, mesmo!

21 de janeiro de 2013

Bolo de Iogurte


O dia já ia comprido, mas depois de ver as delícias que a Raquel está sempre a publicar, é difícil não ficar com vontade de fazer comer uma coisa boa. Na falta de alguém em casa a quem pudesse fazer olhinhos de Gato das Botas e sem vontade de perder grande tempo a procurar ou a executar uma receita, fiz o mais simples e rápido que encontrei: um bolo de iogurte. Em 6 minutos (mesmo), tinha o bolo no forno. Quando pus a massa na forma achei que nem sequer ia crescer de tão deslavada que me pareceu, mas a verdade é que nunca tinha feito um bolo de iogurte que ficasse tão bom, molhadinho e consistente por dentro. Bem sei que a esta hora vocês estão a pensar "Débora, é um bolo de iogurte, qual é a cena?" mas há meses que eu não fazia um bolo, pessoas! Meses!! E este ficou muito bom! Deixem-me curtir o momento, sim? ;)

19 de janeiro de 2013

Previsão do tempo para hoje:


...céu muito nublado! :)

(e uma chuva de ideias para o enxoval do Gonçalo... já disse que não consigo parar de fazer fraldas de pano?)

18 de janeiro de 2013

1ª roupinha do Gonçalo


A tarefa coube ao papá e, tirando uns percalços com o tamanho, acho que se saiu muito bem sozinho ♡

Babetes e Pano Turco

Já me perguntaram algumas vezes onde compro os panos turcos que uso nas babetes. Houve inclusivé uma menina que me disse que não encontrou em lado nenhum e que teve que se desenrrascar com toalhas de rosto ou de banho. Bom, há casas que vendem pano turco a metro, de cores variadas. Eu só conheço uma, na baixa de Lisboa, mas também nunca procurei! A verdade é que eu própria opto por comprar toalhas na Feira dos Tecidos, a peso! As toalhas são novas, embora não faça ideia de onde vêm e como vão lá parar. Muitas têm defeitos ou publicidades a spas, hotéis ou produtos de cabeleireiro, outras são conjuntos incompletos e até as há de marca lá perdidas. Sai muito mais em conta e, honestamente, ainda que ficasse mais barato comprar a metro, não sei se abdicaria do que consigo com as toalhas. Ao invés de cores e texturas lisas, consigo pano turco com diferentes trabalhados, com diferentes misturas de cores e padrões (riscas ou bolas, por exemplo) e, com sorte, ainda consigo umas barras giras que dão para aproveitar. Basta ir com alguma paciência para remexer nas montanhas de toalhas que lá estão e escolher as mais bonitas e de melhor qualidade (algumas têm defeitos, outras são muito fraquinhas e outras há que são demasiado grossas, o que também não interessa visto que são vendidas a peso e para além disso, a babete depois fica demasiado grossa). Em casa vou-as lavando juntamente com a roupa normal e ficam prontas a usar!





Estes são alguns exemplos de toalhas (e confesso que até nem são os mais bonitos, mas dá para perceber a ideia). Neste caso são todas lisas, mas acontece com frequência usar padrões ou barras que combinam na perfeição com um determinado tecido, como acontece com a babete dos elefantes (eu até só ia usar a parte lisa, só depois reparei que a barra tinha exactamente as mesmas cores!).

17 de janeiro de 2013

37 semanas...

...e (re-)começam os sonhos com partos mais ou menos atribulados e recém-nascidos que choram muito! Quero muito que o Gonçalo se aguente na barriga até às 40 semanas. Mas se não for até lá, pelo menos que espere até conseguirmos (finalmente) fazer a nossa segunda e tão aguardada sessão com a Selma. Vá lá, por favor... sim?

7 de janeiro de 2013

!

Naquela que provavelmente foi a última consulta no Centro de Saúde, a enfermeira:
"- Então e a mala, já está feita??"

Juro que não sabia se havia de rir ou de chorar! :)
Há-de estar um dia destes, espero eu! Assim que a roupa da criança estiver lavada e passada! Pelo menos (alguma) já está estendida a secar. É um progresso!... ou não?

31 dias.

 

O Gonçalo está previsto para de hoje a um mês. Se virá antes disso ou depois... só ele sabe. Como é possível desejar que o tempo voe e, ao mesmo tempo, querer que passe bem devagar? (não, a barriga não é minha, mas achei a imagem tão linda que não resisti!)

4 de janeiro de 2013

Derreti!

#@$%!

Este blog não tem aquela coisa nos comentários, que serve para provar que não são nenhum robot a comentar pois não? Digam-me que não, por favor... É que até se me vêm as lágrimas aos olhinhos de cada vez que vou para comentar um post e tenho que fazer refresh 4 ou 5 vezes nas imagens, até aparecer uma em que eu consiga perceber os caracteres que lá estão!!!

2 de janeiro de 2013

Desenhos.

Já pinta muito bem (muito certinho dentro das linhas, embora sem qualquer propósito na escolha das cores), julga que escreve o nome dela e dos que a rodeiam (dou com ela a fazer um rabisco miudinho e a dizer devagarinho "paaa-tiii-taaa", "paaa-pá", "ooonn-çáaaa-loooo", "maaaaa-noo") e está a aprender a desenhar. Os desenhos que faz começam a ser um pouco mais que simples rabiscos e há poucas semanas, depois de desenhar um círculo, consegui que desenhasse uma cara com direito a olhinhos, nariz, boca, cabelo e orelhas, tudo no sítio certo! Às vezes os bonecos nascem de pernas para o ar, mas isso agora não interessa nada! :)
 

Bolinhos de bolina.




Apesar de a época natalícia ser temida pelos doces que costumam estar presentes, a maior parte deles sempre me passou um pouco ao lado: provava daqui e dacolá mas não era propriamente uma perdição. No entanto, aquilo com que crescemos fica-nos na memória e quando passei o primeiro Natal cá em baixo confesso que fiquei um pouco desconsolada. Não faltavam coisas boas, mas faltavam os protagonistas das Ceias de Natal com que cresci: as rabanadas, a aletria (que lá em cima é feita de forma a ficar rija e depois é partida, no prato, em cubinhos) e os bolinhos de bolina. E, para mim, estes últimos são O doce de Natal! Aquele doce que se não comer, sinto que fica a faltar qualquer coisa. Destes não me canso e são uma verdadeira tentação! Este ano a minha mãe veio passar o Natal connosco e só o cheirinho dos primeiros a sair do fogão, encheu-me de água na boca.
São feitos de abóbora bolina (que é uma abóbora mais doce e de um laranja mais acentuado) e têm a forma de bolinhos de bacalhau. Para além da abóbora levam ovos, açúcar, um bocadinho de farinha e canela. Cá nunca os vi. Já ouvi que há quem lhes chame filhoses mas nas imagens que o google me mostra não são em nada parecidos. Os que a minha mãe faz ficam molhadinhos por dentro (ficam diferentes consoante se esprema muito ou pouco a abóbora, depois de cozida) e simplesmente di-vi-nais!

1 de janeiro de 2013

Olá 2013!


Bom ano!!! :)