30 de dezembro de 2012

Às 34 semanas da segunda gravidez...

34 semanas e 2kg de Gonçalo :)

...descubro o que são afinal as tais contracções de Braxton-Hicks. Na gravidez da Matilde cheguei a sentir-me ridícula por, às 40 semanas, me perguntarem se já tinha tido alguma contracção e eu não saber dizer se sim ou não, quer fosse de preparação ou mesmo à séria. De facto, não doem nada, mas são sem dúvida contracções - dificultam-me a respiração e a minha barriga fica dura como pedra.
Ao mesmo tempo que sei que este facto não significa nada, não consigo deixar de pensar que este bebé, ao contrário da irmã, não se deixará ficar para depois da data prevista. Algo me diz que vai ser mais despachado! A ver vamos.

29 de dezembro de 2012

Ser mãe:


Querer congelar o tempo, muitas e muitas vezes e sentir que podia ficar uma noite inteira só a vê-la dormir.

28 de dezembro de 2012

Brinquedos que fazem sucesso por cá.


No ano passado recebeu 11 bebés, duas camas, dois carrinhos de passeio, uma cadeira da papa e outros acessórios e brinquedos do género, mas por incrível que pareça, aos quase 3 anos ainda não tinha nenhum conjunto de peças de construção. Aliás, tinha meia dúzia de peças de marcas diferentes que vieram não sei de onde e que, para além de serem já demasiado simples para a idade dela, não davam para construir nada de especial. Já andava a querer comprar-lhos há algum tempo, mas tenho que admitir que os acho demasiado caros para o número de peças que cada caixa traz. Este ano o Continente estava com 50% de desconto e foi a oportunidade perfeita. Escolhemos 3 caixas diferentes (duas do Pooh e uma maior que tem um supermercado e uma bomba de gasolina com um carro e uma mota como a do papá) e, apesar de não ser um brinquedo tipicamente de menina (resistimos à tentação de trazer uma caixa que trazia uma princesa), ela tem adorado. Ainda fiquei de olho nas caixas das letras e dos números, mas fica para a próxima. No outro dia o Bruno dizia-me "Já percebi porque é que querias dar-lhe Legos, era para tu brincares também!" mas a verdade é que sempre que ela despeja a caixa no tapete, alguém pára o que está a fazer e vai também fazer construções. Hoje foram os tios que largaram a PS3 e a PSP (!!) e aterraram no tapete a brincar :)

Coincidências.

Ontem, enquanto me passeava pelo Pinterest, encontrei esta ideia fantástica de presente de Natal feito em casa: Cookies in a Jar. Não lamentei o facto de não a ter visto antes de Natal porque a verdade é que ideias eu já tinha, faltou-me o tempo e a capacidade de organização, pelo que me restou repetir o mantra de todos os anos: "para o ano vai correr melhor!". Basicamente trata-se de uma mistura de ingredientes para preparar bolachas, à qual apenas é necessário acrescentar 2 ou 3 coisas e pôr as mãos na massa!

(clicar para aumentar)
Para além de ter adorado a ideia, achei os frascos deliciosos e as etiquetas de muito bom gosto (e estão disponíveis para download!). Pensando que as tampas teriam sido pintadas em casa (eu, por exemplo, guardo tudo o que é frasquinho para depois aproveitar para doces e este tipo de coisas) perguntei-me como teria sido feito aquele efeito tão giro.
No mesmíssimo dia, passei nos chinocas aqui ao pé de casa à procura de um caixote do lixo novo e, qual não é o meu espanto, dei de caras com os ditos frascos!! Escusado será dizer que se tivesse andado à procura deles (ou de outros idênticos que dessem para o mesmo efeito) nunca os encontraria, não é? :) Havia-os em vários tamanhos e feitios, sempre com estas tampas giras! Fiquei com vontade de trazer vários, sobretudo uns grandões de 2L que lá estavam, mesmo jeitosos para coisas maiores. Acabei por trazer só 3 de 1L (1€ cada), que ficam ali guardados até surgir uma oportunidade de os utilizar :)
Fica a ideia para o próximo Natal ou, quem sabe, para oferecer durante o ano!

24 de dezembro de 2012

Natal '12


...e nós quase 4 :)

22 de dezembro de 2012

Daqui.
Estão a ver aquela mesa ali? Disse-me um passarinho que já esteve mais longe de vir morar cá para casa :)) Estou desejosa de dar uma reviravolta aqui ao estaminé! Uma boa mesa para cortar, estantes branquinhas para arrumar tecidos e outros materiais, um organizador de linhas, alguns quadros na parede... há-de ficar um mimo!

21 de dezembro de 2012

Acordar.


Mimos destes acontecem só mesmo "quando o rei faz anos"... mas é por isso mesmo que sabem tão bem!

20 de dezembro de 2012

Ideias luminosas!

"Ah e tal, este ano, para além das almofadas de caroços de cerejas, vou fazer também umas almofadinhas de trigo e alfazema!" Vai daí, descobri que o meu avô tinha um saco gigante de trigo em casa e pedi-lhe um saco cheio, que trouxe da aldeia e ficou ali a aguardar pacientemente que eu arranjasse um bocadinho de tempo para fazer as ditas almofadas. Resultado: uma infestação de gorgulho!! Começou por aparecer um bichinho aqui, outro acolá... mas por serem tão minúsculos nem me fizeram confusão, pensei que tivessem entrado pela janela aberta. Até que começaram a ser imensos e a aparecer em toda a parte! O Bruno bem me dizia "isto parece o bichinho do arroz" mas eu lá me lembrava que ainda estava ali o trigo?? Ficou insuportável quando percebeu que afinal tinha razão!!
Agora, não sei se estou mais chateada por ter andado ali algumas horas a virar o quarto do avesso (mas julgo que me livrei deles!) e por ter ficado sem almofadas e sem trigo, se estou feliz por não ter feito as almofadas!! Será que acontecia o mesmo ou foi por o trigo estar num saco fechado? Já vi destas almofadas em tantos sítios, gostava de saber se alguma vez alguma ganhou bicho! Blhec!

19 de dezembro de 2012

Einstein!

Não sei o que se passou, mas este mês recebemos uma conta de 150€ de luz para pagar. Enquanto o chefe reclamava por eu estar com o aquecedor ligado (de manhã cedinho, logo depois de sair do ninho, uma pessoa tem frio pá!), a pérola: "Fechas a porta!... Percebes? Contigo a respirar e assim... daqui por umas horas o quarto está quente!!" De facto, como é que ninguém se lembrou disto antes? Aquecedores para quê, pessoas? Aqueçam vocês mesmos as vossas casas... a respirar e assim!! lol

(no telejornal já ouvi dizer que em Janeiro a luz e a água aumentam outra vez. quando é que isto acaba, mesmo?? um dia destes troco a minha máquina de costura eléctrica por uma a pedal! já para não falar no facto de viver num dos concelhos em que a água é mais cara...)

17 de dezembro de 2012

Tempo.

Deitada na cama da minha filha, com ela enroscadinha em mim, relembro que já passaram 2 anos e 9 meses. Tanto tempo, mas ela continua a ser a minha bebé. Braços e pernas pequeninas, mãos e pés ainda rechonchudos. Já diz tudo e conversa como gente crescida, mas grande parte das palavras ainda têm a deliciosa pronúncia de bebé. Os dias vêm uns atrás dos outros e não esperam por ninguém. Daqui por uns anos vou querê-la ao pé de mim, vou querer desenhar e pintar com ela e talvez ela me mande dar uma curva e se enfie no quarto no meio das suas coisas. Hoje ainda chama pela mamã, quando acorda de um sonho mau, ainda vem ao pé de mim e diz "anda pá xala bincar comigo". Enroscadinha na cama dela, a contemplar este corpo pequenino, só gostava de conseguir que o tempo parasse, de conseguir agarrar esta sensação nas minhas mãos e guardá-la num frasquinho bem fechado, para poder voltar a ela a qualquer momento, para o resto da minha vida.

11 de dezembro de 2012

É só mais um bocadinho.

Aguardo ansiosa que o novo ano comece. Acho que quando passar esta atribulada época das festas, até vou achar que é mentira. Ando esquecida, desorganizada, desorientada. Tenho mensagens e e-mails por responder, roupa por passar e devem contar-se pelos dedos de uma mão as vezes que cozinhei nas últimas semanas. Nesta 2ª gravidez, já me baldei a duas consultas de saúde materna (um baldar responsável, que eu sou menina bem comportada e aviso e remarco sempre). Uma coisa impressionante, visto que as consultas sempre foram momentos ansiados. Apesar de ter a roupa do Gonçalo toda a jeito, falta-me a parte mais difícil: lavar, passar e arrumar. Mandámos lacar de branco o berço que era da Matilde, falta-nos ir buscá-lo e repensar o nosso quarto para receber um novo bebé. Falta-me costurar 1001 ideias para ele e, ao mesmo tempo, despachar algumas encomendas que, inevitavelmente tive que agendar para o início do próximo ano. E falta-me, acima de tudo, guardar algum tempo para descansar, para voltar a ser uma mãe mais disponível e uma dona de casa mais dedicada. Ai 2013... chega depressa, sim?

27 de novembro de 2012

keep it simple

Ter um (segundo) bebé nos dias de hoje não precisa de ser um bicho de sete cabeças. Não se o que é realmente importante para nós é O bebé e não tudo o que é palpável e costuma vir associado a ele, sejam os 1001 acessórios, seja um quarto em que se gastou uma fortuna a decorar, sejam as aparências, porque queremos tudo o que é do bom e do melhor, mesmo que isso não tenha a mínima importância para que ele cresça saudável e feliz. No fundo, dizia alguém por estes dias e eu não posso estar mais de acordo, um bebé precisa de roupa lavada, colo e muita maminha (sendo que, para esta última parte, também é preciso querer muito).


Há umas semanas, deliciei-me a escolher roupinhas para o Gonçalo entre sacos e sacos de roupa de bebé menino que uma amiga gentilmente me emprestou. Depois, fui buscar tudo o que era da Matilde e separei o que não era cor de rosa e, portanto, dará também para o irmão (não que o rosa não desse também se necessário fosse, mas tendo mais por onde escolher, não precisamos de afrontar já o rapaz!). E é isto, minha gente. Já tenho a criança vestida durante quase todo o seu primeiro ano de vida e não gastei um tostão (e depois disso, logo se verá!). E se o fizer, será por puro capricho e não por realmente precisar (há dias estive quase quase, mas depois fugi da loja a correr! lol). Para além dos artigos de higiene e, a seu tempo, das fraldas, não me parece que vá gastar muito mais para este bebé até ele nascer e nos seus primeiros meses de vida (e que assim seja, pois significa que será um bebé saudável, que é acima de tudo o maior desejo e a maior angústia para quem tem um bebé na barriga).

Vão ter bebé? É mesmo necessário fazer um enxoval de raiz? Já perguntaram a amigos ou conhecidos que tenham tido bebé há poucos anos? Ou muitos! O Gonçalo vai usar babygrows lindos e que estão novos e já vestiram a Matilde e o meu irmão há 13 anos!! ;)

16 de novembro de 2012

Há colaborações mesmo boas.




Esta é uma delas! :) Com o Natal aí à porta, achámos que seria uma boa oportunidade para mais uns doces marcadores Ana Oliveira & Mimices. Desta vez, um presépio amoroso e um marcador para mimar as professoras/educadoras dos mais pequeninos! Não ficaram deliciosos?? Não me canso das ilustrações da Ana

Um | 5,90€
Dois ou mais (podem ter ilustrações diferentes) | 5€ cada

Mais informações ou encomendas para queromimices@gmail.com!

10 de novembro de 2012

Coisas de gente crescida.


Eu, que sou uma rapariguita muito bem comportada (cof cof...) não costumo falar destas coisas aqui no blog, mas isto é tão giro, tão bom e cheira tão bem, que não podia deixar de partilhar!
Um dos meus presentes de aniversário, este ano, foi esta vela. E vocês perguntam "uma vela??" Sim, uma vela! Mas esta é uma vela especial de corrida! Depois de arder uns 15, 20 minutos, a "cera" transforma-se num... óleo de massagem!! Uuhhh :) Ou seja, basicamente a vela cria ambiente e espalha um cheirinho bom (a minha é a tropical, apetece comer!) e quando já está tudo a postos, verte-se a "cera" derretida nas costas ou em qualquer outra zona a massajar. Mas calma, a melhor parte é que... não queima!! Nadinha nadinha. Aliás, é super agradável sentir o óleo quentinho na pele, ao contrário do que acontece com outros produtos de massagem que estão à temperatura ambiente e têm que se aquecer minimamente nas mãos para não ser desconfortável (e devo dizer que, quando experimentei, foi hilariante o ar de pânico dele, assim que me viu a pegar na vela e ainda antes de começar a barafustar, já eu lia nos olhos dele "pronto, ficou doida de vez!" lol).
E pronto! Uma massagem (muitas! que não parece, mas gasta-se pouco de cada vez) 5 estrelas para vocês ou para o vosso mais que tudo. Ou para a vossa avó, claro! ;) Depois não digam que eu não sou amiguinha!

9 de novembro de 2012

Ironias.


Terminei hoje o meu primeiro peluche! Uma encomenda pendente há bastante tempo que é, na verdade, um misto entre peluche e almofada. Acho que correu bem :)
No entanto, não consigo deixar de me sentir um pouco incomodada. Ontem, enquanto colocava parte do enchimento, a minha filha aproximou-se curiosa "o que é isto?" Automaticamente, a minha reacção foi "é trabalho da mamã, não mexas!" receosa que ela estragasse alguma coisa ou tivesse as mãos sujas... e depois vieram os remorsos. Em mais de 6 meses de Mimices, não fiz uma única coisa para ela (ou para mim!). Sei que ela gostou da corujinha e, apesar de não lhe faltarem bonecos, tenho a certeza que ia gostar se lhe oferecesse uma igual. E no entanto, cá estamos... "em casa de ferreiro espeto de pau".
No meio desta minha ânsia de tornar as Mimices um trabalho (que já é mais do que full-time) que me garanta algo que se pareça com um ordenado (coisa que ainda está muito longe de acontecer), estarei a deixar para trás o que realmente importa? No meio desta minha ânsia de poder trabalhar em casa e ter mais disponibilidade e mais tempo para o que interessa, estarei a viver num corre-corre ainda maior do que quando trabalhava no centro da capital e gastava 3h diárias em transportes públicos? Tenho feito esta pergunta a mim mesma e evito continuar a pensar no assunto, porque no fundo sei a resposta. Sei que estou mais feliz, que adoro o que faço, mas que ao mesmo tempo me sobra menos tempo para aquilo que, desde sempre, foi o principal objectivo de tornar os meus dias naquilo que são hoje. Faz sentido aquilo que eu estou a dizer? Sei que estou a cometer grandes falhas algures na minha gestão do tempo, mas sinto que não consigo descobrir como dar a volta e encontrar um equilíbrio.
Há tempos, quando publiquei uma fotografia sobre a gravidez do Gonçalo, um dos comentários dizia algo como "esse bebé vai ter um monte de coisas lindas!" Guess what? Até agora, nada. Ainda não começei a escolher e organizar as roupinhas do Gonçalo, muito menos a tratar do resto do enxoval e da montanha de ideias que tenho em mente para fazer. Estou ansiosa que passe o Natal e que chegue o novo ano. Para me dar ao luxo de tirar "férias" e começar a preparar a sério a chegada do nosso bebé mais pequenino...
E pronto. Já disse que terminei hoje o meu primeiro peluche? :)

:(

Eis que, depois de já ter largado as fraldas definitivamente há meses, a minha filha faz cocó e xixi pelas pernas abaixo pelo 3º dia consecutivo. Isto é normal? O irmão ainda nem nasceu!

4 de novembro de 2012

Welcome.

Há muito tempo que sou fã da Laurraine Yuyama. Cheguei a publicar aqui alguns trabalhos dela e nem sequer foram os mais bonitos! Tem uma imaginação sem fim e um estilo muito próprio, para além de ser fã dos detalhes que as suas peças têm. Por isso, quando a mãe de uma amiga publicou esta fotografia no meu mural e me perguntou se poderia fazer algo do mesmo género, não foi muito difícil descobrir quem seria a autora :)

A ideia original é um calendário de contagem decrescente de uma semana e serviria, por exemplo, para contar os dias até à mudança para uma casa nova. Posteriormente, as diferentes "peças" do calendário poderiam ser usadas como base para copos. O projecto chama-se "Welcome Home Coasters" e o tutorial da autora foi publicado no livro "Countdown Calendars" - podem espreitar
aqui o resultado final!

Honestamente, agrada-me mais a ideia de simplesmente ser usado como adereço de boas-vindas. E como a intenção de quem mo pediu também era essa, optei por fazer algo bem mais simples! Não usei nenhum tutorial, limitei-me a inventar um bocadinho :) Deu um trabalhão, mas deu-me muito gozo fazê-lo e pensar nos detalhes. E fiquei ainda mais feliz por ver que a presenteada gostou do resultado! Aguardo por vê-lo a enfeitar uma das paredes do seu lar, doce lar ;)









2 de novembro de 2012

Good morning, sunshine!

São 7h da manhã, estou acordada desde as... humm... ainda não eram 6, deitei-me à uma, dormi com os costados ao frio, estou cheia de dores de garganta e acordei com as unhas dos pés da minha filha (que o pai deitou sem meias e que a meio da noite - que é como quem diz, algures entre a uma e as 5h30 - veio ter connosco à cama) a arranhar-me as costas (não estão por cortar, mas são fininhas como agulhas!). E para completar, tenho a música "Oh Joana" do Marco Paulo, a passar em loop na minha cabeça. Oh, joy!

31 de outubro de 2012

Verbo "perder a cabeça".

Eu fui ao site da Vertbaudet com o intuito de aproveitar uma promoção e comprar umas camisolas pré-mamã para mim. A sério que fui. Diz que era o presente de aniversário do Bruno para mim. Mas depois uma pessoa tropeça em coisas destas e fica assim a modos que a babar em frente ao monitor!... Ter uma menina é uma tortura para quem não pode simplesmente clicar em "adicionar ao carrinho" indefinidamente. Contentei-me com duas camisolinhas para mim e estas 3 peças para ela. Amanhã lá vamos nós ter que aproveitar o feriado para passear a roupinha nova... que chatice. Ai, se eu tivesse muito dinheiro!! :)

Da sensibilidade masculina.


(atenção! contém spoiler)

Lady Edith afundada em baba e ranho, acabadinha de ser abandonada no altar, os preparativos para o casamento a serem desfeitos e ele: "Xi, e agora?... já viste a fortuna que eles gastaram??"

29 de outubro de 2012

25s e 4d


É tão, mas tão bom, estar grávida :)
(por favor relembrem-me estas palavras quando eu entrar na recta final, sim?)

26 de outubro de 2012

Opá...


Que anúncio delicioso! :')

25 de outubro de 2012

Do parto (que está para vir).

Completo hoje as 25 semanas e ultimamente dou comigo a pensar cada vez mais no nascimento do bebé que trago cá dentro. Nesta segunda gravidez, olho para tudo de maneira diferente. Penso um bocadinho menos no facto de estar grávida e, por isso mesmo, o tempo passa (ainda) mais depressa. Mas acho que penso mais no parto. Vou com a vantagem de saber o que me espera. Mas lá está - já sei o que me espera. E isso não é necessariamente reconfortante :) Apesar de o meu primeiro parto ter durado 5 horinhas, são momentos só nossos, momentos em que o nosso corpo assume o controlo, dores que ninguém sente por nós e que, felizmente, a nossa mente tem a habilidade de apagar da nossa memória! Caso contrário ninguém repetia a dose de livre vontade ;)
Relembro o parto da Matilde e imagino que gostava que desta vez "a coisa" se processasse de forma mais espontânea. Apesar de nunca me ter arrependido de ter avançado para o parto induzido assim que completei as 41 semanas (por mim até tinha sido antes, tal era o meu cansaço e a minha ansiedade), há coisas que não vivi e que gostava que fizessem parte desta experiência única que é trazer um filho ao mundo. Coisas pequenas, talvez até parvas, mas que eu gostava de conhecer. O "rebentar" das águas, por exemplo, não sei o que é, porque foram as enfermeiras que o fizeram. Sei que é uma coisa sem importância e que na maioria das vezes as águas não rebentam antes, mas mesmo assim! Também não sei o que é começar com contracções de um momento para o outro, sem estar à espera. Por muitas tentativas que tenha feito para provocar o parto da Matilde de forma natural... a primeira contracção que senti na vida foi depois da indução. Não sei o que é ter o Bruno ao meu lado durante este início do trabalho de parto, porque no parto da Matilde ele foi mandado para casa enquanto aguardávamos e foi tudo tão rápido que quando chegou já eu estava com a dilatação quase feita, a implorar pela epidural. E convenhamos que, qualquer grávida que se preze, quando pensa no parto se imagina a correr para o hospital, a arfar dentro do carro, com o marido ao lado a buzinar para que abram caminho, ou sou só eu?? :)
Por estes dias li este artigo da Pais & Filhos e gostei muito. Apesar de ter tido uma primeira experiência, a meu ver, muito boa e de ter sentido tudinho (mesmo com epidural sabia exactamente quando tinha que fazer força, ao contrário de alguns destes relatos), tenho ponderado se realmente terá sido um procedimento necessário. Afinal de contas, veio tarde e a más horas, já eu estava quase em ponto rebuçado... mas também é verdade que quando ela finalmente chegou eu já jurava a mim mesma que não resistiria a nem mais uma contracção e que não seria capaz de ir até ao fim. Fiquei com a pulga atrás da orelha. Há uma pequena parte do meu (nosso) parto, que eu saltei. Que não sei como é. Será que não seria mesmo capaz? Ou será que estava mesmo quase e eu desisti? Logo descubro como canto quando chegar a hora de o Gonçalo vir cá para fora. Mas estou certa de que desta vez vejo as coisas de forma um bocadinho diferente...  e me sinto capaz de um pouco mais.

24 de outubro de 2012

Fita de viés.



Não deixa de ser curioso como todos os posts sobre costura que aqui coloco parecem invisíveis. Juro que às vezes venho confirmar se ficaram mesmo publicados, tal é o silêncio! :) Serei eu que ando muito chata? Acredito que sim e lamento se é o caso... mas a verdade é que fica difícil variar muito nos temas, quando o tempo escasseia e quase todos os meus dias são passados no meio dos trapos! ;)

Anyway... hoje, enquanto fazia esta fita de viés, pensava que é uma coisa um bocadinho aborrecida de fazer, sobretudo para quem, como eu, não tem nem material de corte, nem fazedor de viés (ou faz viés ou passa viés... como lhe quiserem chamar). Porque ninguém nasce ensinado, já "perdi" algumas horas à procura da forma mais rápida e eficaz de fazer esta fita e, tirando uma ideia daqui e outra dali, consegui dar com aquela que me permite fazer viés de forma a que fique perfeitinha, sem esfrangalhar o tecido todo, queimar os dedinhos ou chorar de desespero ;) Por isso, lembrei-me de me estrear nos tutoriais, mostrando como faço. O que não faltam por essas internetes fora, são posts sobre o assunto, mas sem ambos os utensílios não me lembro de ter visto algum - serei a única pessoa no mundo? :) Por isso (e porque um tutorial dá uma trabalheira), ficam as questões, para as meninas que costuram:

Já experimentaram fazer fita de viés ou já compram feita? Acham fácil ou dá-vos algumas dores de cabeça? Têm fazedor de viés? E como cortam as tirinhas perfeitinhas? Seria útil um tutorial ou mais vale estar quietinha? :)

Conjunto de bebé com porta-fraldas + muda-fraldas (interior impermeável, dobra-se de forma a ficar em formato de bolsa) + bolsa de documentos + babete reversível.



Gosto tanto, mas tanto do tecido que deu origem a este conjunto, que quase consigo ter pena de não estar à espera de outra menina, só para poder ficar com ele para mim :)

19 de outubro de 2012

Dias.


Música no ar, linhas coladas à roupa e um bebé mexerico por companhia :)

13 de outubro de 2012

O Natal está a chegar...

Já começaram a tratar dos presentes, ou costumam deixar tudo para a última? :)




12 de outubro de 2012

6 meses, meio ano.

https://www.facebook.com/pages/Mimices/349113818473039

Faz hoje 6 meses que lançámos o site e a página do Facebook das Mimices onde, curiosamente, também hoje atingimos os 1000 likes. Para muitos pode parecer pouco, para mim é uma imensidão. Às vezes ainda acho que é areia a mais para a minha camioneta, mas devagarinho (vá lá que as clientes são pacientes!) vou continuando ao sabor da maré, para onde ela me levar. É bom, mas tão bom, ir recebendo as muitas palavras carinhosas de incentivo!... A propósito, espreitem aqui mais um post, desta vez da Joana, aqui sobre o estaminé. Obrigada! ♡

9 de outubro de 2012

OoOOooohhhh....


Eu quero estes alfinetes!!! Já disse que faço anos daqui a... humm... 18 dias? :)

Olhem só...



...estes passarinhos amorosos! Supostamente a ideia é construir este lindo mobile (móvil?) mas eu mal posso esperar para experimentar fazer alguns soltos para espalhar pela casa :) Tutorial (gratuito!) aqui.

29 de setembro de 2012

Quem diria...



...que eu ainda havia de ter uma filha loira?

28 de setembro de 2012

O menino Ikea...


...andou a inspirar-se na minha cozinha!! LOL

26 de setembro de 2012


É o meu bebé.
Chama-se Gonçalo e é um pedaço de mau caminho :)

p.s. para quem está pouco habituado a ver ecografias, a imagem mostra um bebé de perfil, a chuchar no dedo! vê-se bem o bracinho dele levantado e a mão fechada ;)

25 de setembro de 2012

"Estou no lodo!"

Aqui há tempos fomos ao cinema ao Dolce Vita Tejo. Bilhetes comprados, decidimos ir buscar pipocas (mandem-se ao ar, atirem pedras, cinema para mim é com pipocas, ainda que o pacote fique praticamente vazio ainda antes de começar o filme) e lá estava uma rapariguita sozinha ao balcão, com 1976355 pessoas na fila, a suar por todos os poros. Quando finalmente chegou a colega para a ajudar, comentou: "Txi, estás no lodo?!" e eu não consegui deixar de sorrir :)
A expressão não é propriamente bonita, mas não podia ser mais apropriada e trouxe boas recordações de outros tempos. Enquanto andava na faculdade trabalhei em restauração, primeiro num centro comercial, naqueles quiosques de café que estão por lá espalhados e depois numa pastelaria. Ainda hoje, às vezes, sinto saudades do ambiente e do ritmo, sobretudo deste último sítio onde estive. Adorava servir à mesa. Mesmo!
Foi nessa altura que ouvi a expressão a primeira vez. Lembro-me de ficar a olhar com uma pinga, de pensar "estás onde?" e de me explicarem, como quem transmite toda a sua sabedoria: "estás no lodo quando tens louça por todo o lado, imensa coisa por fazer, clientes sempre a chegar... e não sabes para onde te hás-de virar primeiro!" Não tardou muito a experimentar a sensação ;)

Tudo isto para dizer que... neste momento eu também estou no lodo! O que não é necessariamente mau :)

24 de setembro de 2012

Gosto tanto, mas tanto...



... da nossa "sala nova"! É que não me canso de olhar para a tão aguardada estante :) Agora só me resta uma questão mais que pertinente: e agora quem vai limpar o pó a esta tralha toda?

23 de setembro de 2012

Ainda do Verão que agora termina.



Foram oferecidos à Matilde e vinham num cartãozinho que dizia "Little Girls". Ora, com 1,62m eu também não sou propriamente grande, não é verdade? :)

Abastecer.



Em casa da minha mãe há gavetões assim. É natural que, para além de mim própria, os meus carrinhos de linhas também voltem mais gordinhos de cada vez que lá vão :)

22 de setembro de 2012

20 semanas.


Estas 20 semanas parecem-me (e estão!) bem mais volumosas que na gravidez da Matilde. Desde que passou o tormento de aguardar pelas 12 semanas, tem sido uma gravidez muito serena. As semanas passam sem eu dar conta e acho que foi preciso, há coisa de duas semanas, sentirmos os dois (pai e mãe) os primeiros pontapés oficiais para eu me sentir realmente a carregar um bebé na barriga... e mexe tanto! Diz que é para a semana que sabemos se cá dentro está um crianço ou uma criança :)

21 de setembro de 2012

Aproveitar o que não presta.

Este ano, assim que começaram a aparecer as primeiras cerejas, lembrei-me que há algum tempo que pensava em fazer almofadinhas de caroços de cerejas. Para quem não sabe, estas almofadinhas, à semelhança das almofadinhas de cereais (que também estão nos meus planos), servem como almofadas térmicas, óptimas para substituir, consoante a situação, o saco de água quente (colocando no microondas uns minutos) ou o gelo (colocando no congelador umas horas). Podem ser usadas também para aquecer a caminha dos bebés antes de os deitar, agora que o frio se está a aproximar!

De maneiras que, nessa altura, decidi enviar sms a alguns amigos a pedir um pequeno favor: que quando comessem cerejas, colocassem os caroços à parte e que fossem colocando esse recipiente ao sol, para secar. A minha mãe tinha-me dito uma vez que este processo era suficiente. Eu achei estranho e mais tarde percebi que não. Muitos caroços ganham bolor e não é nada higiénico deixar aqueles bocadinhos de cereja agarrados que mais tarde acabariam por absorver humidade novamente e... blhac.

Caroços secos ao sol, antes de serem lavados.
Descobri que os caroços devem ser então submetidos a um processo de lavagem. É um processo muito simples mas, confesso, bastante demorado e... nojento! lol  Basicamente consiste apenas em colocar os caroços num recipiente com água e, de x em x tempo (eu era quando ia à cozinha e me lembrava e calçava umas luvas de latex para o efeito) ir esfregando uns nos outros e mudar a água, repetindo até se soltarem todos os resíduos. Depois, aí sim, colocar ao sol uns dias até secar.


Eu quase não comi cerejas, mas tenho amigas queridas que se lembraram do meu pedido e me trouxeram grandes caixas e sacos cheios de caroços :) a primeira leva já está lavadinha. Às vezes há uns caroços que ainda parecem ter restinhos, mas são apenas manchas mais escuras. Agora é tratar da segunda e creio que terei caroços suficientes para fazer algumas almofadinhas para oferecer no Natal!!

Lavadinhos e prontos para encher as almofadas!