6 de setembro de 2011

Maria Desconto... será?

Quando andava na escola primária tinha o hábito de andar sempre com uma menina com quem ninguém queria brincar. Chamava-se Rita, andava sempre cheia de piolhos e tinha os dentes todos podres. A Rita era pobre mas, nunca me esqueci até hoje, quando estava constipada, usava lenços renova com cheiro a lavanda e assoava-se apenas uma vez a cada um deles. Como a Rita (ou, neste caso, os pais dela), há milhares de pessoas pouco sensatas na hora de fazer as suas compras. Ainda há uns tempos conversávamos com um casal amigo que contava uma história semelhante, de como conhecidos com um orçamento muito limitado colocavam, invariavelmente, produtos de marcas mais caras no carrinho, simplesmente porque não se convencem que a marca branca é uma opção mais económica ou nem sequer se davam ao trabalho de comparar preços. É um facto que, em alguns produtos e quando o orçamento me permite, também gosto de escolher marcas específicas. Mas no geral, quando olho para o tapete na caixa do supermercado, destacam-se os rótulos vermelhos, já que quase tudo é marca branca.

Esta tarde, lembrei-me da Rita. Agora dá um programa que se chama "Maria Desconto" em que uma senhora vai ao supermercado com uma outra (que se inscreve para participar no programa), com uma lista de compras e um limite no orçamento. Supostamente, para ensinar a fazer escolhas mais económicas. Qual o meu espanto quando, no item "bolachas" ela recomenda escolher umas simples (até aqui tudo bem) e depois pega num pacote de bolachas Maria, do Ruca, em pacotinhos individuais, que custava 1,79€. Ora, se fossem umas bolachas xpto, ainda vá, mas eram bolachas Maria, tinham que ser estas? É que se ela comprasse um pack de 4 pacotes grandes, marca branca, e os dividisse em porções em casa (para levar para a escola, por exemplo), o mesmo peso em bolachas ficaria por 0,28€, ou seja menos 1,51€!! Ou então podemos comparar pelo preço por kg: as de marca branca custam 0,93€/kg e as primeiras custam 5,97€/kg! É uma grande diferença, ou não? É nestes pequenos gestos que se nota a diferença na despesa total do supermercado e acho ridículo que num programa que aparentemente pretende ensinar a poupar se vejam estes exemplos. Porque cada vez mais as pessoas se convencem que não podem comer bem e barato, quando podem! É certo que as frutas e legumes estão cada vez mais caros, mas há muitas alternativas a serem exploradas e muitas formas de poupar na alimentação sem poupar na qualidade. O que dizer quando se começa a defender a fast-food como sendo a única alternativa para muitos portugueses comerem de forma mais económica? Eu quando vou ao McDonald's não como por menos de 5€... e por este preço consigo fazer uma refeição em casa para 4 pessoas! É pena que as coisas estejam neste ponto e que se vejam tantas pessoas sem querer saber como fazer melhor...

13 feelings:

*C*inderela disse...

eu não acho o MacDonalds muito mais barato em relação às outras cadeias de comida um pouco mais saudavel.
sempre que vou às compras tenho a tendência em comparar preços mas há coisas que ainda não prescindo como por ex. iogurtes e cereais só compro da marca x mas o resto quanto mais barato melhor.

bjokas



Filó disse...

NÃO ACHO QUE A FAST FOOD SEJA UMA ALTERNATIVA PARA COMER MAIS BARATO... UMA PESSOA QUE VÁ AO MC OU A PANS NÃO PAGA MENOS DE 5 EUROS...
ORA SE A FAMILIA TIVER 3, 4 ELEMENTOS SERÃO 15, 20 EUROS POR ESSE DINHEIRO JÁ SE VAI AO SUPERMERCADO E CONSEGUE-SE TRAZER DE LÁ OS INGREDIENTES PARA UMA REFEIÇÃO (PELO MENOS)SAUDAVEL.



Débora disse...

Como disse, eu também não acho, mas há muita gente que defende que sim. Aliás, esse é um dos argumentos de quem é contra a aplicação de um imposto sobre a fast-food em Portugal, como se tem vindo a falar ultimamente.

"Carlos Oliveira, presidente da Associação de Obesos e Ex-Obesos de Portugal, considera que a “fast food” faz mal, mas é barata. Aumentar os impostos sobre estes alimentos, como propõe o bastonário [da Ordem dos Médicos], pode pôr em risco a alimentação de muita gente, adverte."



Sabi disse...

Se calhar a escolha das bolachas ter-se-à devido a algum patrocínio, não? De facto, não tem sentido nenhum gastar-se tanto dinheiro (já para não falar no lixo extra que gera) numa coisa que é tão boa quanto de marca branca... Quanto ao fast food não sei qual a razão para apontarem isso... De facto, se calhar, comparando com preços noutros restaurantes, o fast food é mais barato (mas nem sempre)... Mas ainda mais barato é levar o almoço de casa :P



Cor de Chá disse...

Concordo com tudo o que dizes no post. Desconheço o programa... mas realmente, é ridículo.



Cor de Chá disse...

Fui googlar "Maria Desconto" e estou aqui meia aparvalhada a ver os vídeos. Nem sei que diga... A única finalidade que vejo nisto é fazer crer às pessoas que estão a poupar por causa da porcaria dos descontos em cartão. Já vi de tudo: papel higiénico da Renova (eu por cá, qualquer um serve desde que seja barato. Quero lá saber da marca!), gel de banho de marca, refrigerantes (águinha é bem boa!) and so on. Isto não ensina as pessoas a poupar. Isto ensina as pessoas a iludirem-se e comprarem as coisas que eles querem que sejam compradas... Com a desculpa da poupança. Enfim.



Vera disse...

Apoiadíssimo!
Esse programa é realmente ridículo!



Ana Rute Oliveira Cavaco disse...

bem verdade. acho que a maior parte das pessoas não sabe, de facto, o preço das coisas. porque mesmo dentro das marcas brancas há que saber escolher. eu acho que gasto para 6 aquilo que muitos casais gastam sozinhos (ou menos).



Dina disse...

Concordo com a ideia geral deste post (e acho completamente ridículo a questão das bolachas!!). Mas continuo a dizer que comer bem, sai caro. Devido a problemas de saúde tive que rever a minha alimentação. E isso requer aprender a ler rótulos: o que faz com que muitos pordutos de marca branca me sejam proibidos. Já viram as taxas de açúcar e gordura que alguns produtos apresentam? E depois claro é o preço do peixe, o preço dos frutos e legumes frescos, dos produtos para alérgicos (sem glúten, sem lactose, etc.), etc. Sim, comer bem sai caro ;)



Raquel Úria disse...

Eu confesso, não há muitos produtos de marca branca que me convençam. Ainda assim, concordo que a fastfood é caríssima e que a maior parte das pessoas gasta muito dinheiro em comida porque não tem noção dos preços e faz as escolhas erradas. Mas se pudesse gastava bem mais com a alimentação, acredita. Os produtos de qualidade são, regra geral, mais caros e até a diferença no paladar se nota e bem. (E não estou a falar de bolachas, nem fiambres ou refrigerantes - que nunca compro nada disso sequer!)



Débora disse...

Dina, penso que o que referes é uma situação diferente. É um facto que pessoas com determinadas patologias (entre as quais não incluo as que querem perder peso, mas sim os doentes celíacos, alérgicos a determinados alimentos, etc) têm a vida dificultada porque não podem, de facto, comer muitos dos alimentos e não existem ainda muitas marcas brancas destes produtos mais específicos (embora já vão havendo algumas, que ainda no outro dia comprei bolachas de arroz marca continente).

Raquel, também não acho que todos os produtos de marca branca são equivalentes mas, sobretudo no que toca a comida, cá em casa fazem bem as vezes. E sim, é claro que se pudesse também gastava mais, ainda há tempos ia comprar espargos para provar e dei meia volta assim que vi o preço! O que eu quero dizer é que há sempre alternativa e o que critico é as prioridades todas baralhadas. Se não posso comer espargos, como outro legume qualquer. Mas não é desculpa para não comer de todo, porque há sempre opções mais económicas. Talvez a alimentação fique um pouco mais monótona, mas continuará saudável.

Pode-se comer peixe? Pode. Talvez não possa comer dourada, salmão ou bacalhau, como falei há tempos aqui no blog, mas pode-se sempre comer pescada congelada. O mesmo se passa com a fruta: talvez não possa escolher tangerinas ou ananás ou até as maçãs pink lady que são tão lindas (e caras). Mas posso escolher sempre a fruta da época, que é sempre a mais barata e comprar os sacos económicos que costuma haver nos supermercados. Há tantas estratégias, tantos truques... basta querer.
O mal é que as pessoas não compram fruta porque está cara, mas compram iogurtinhos com pintarolas para os meninos... e isto é só um exemplo.



Raquel Úria disse...

Ok, agora concordo totalmente contigo.



flor disse...

Gostei da comparação da fruta versus o iogurte pintarolas.É porque infelizmente há muita gente sem a minima noção do que é comer bem.



Enviar um comentário