25 de novembro de 2010

Brigada do Reumático


Está cada uma pior que a outra, coitadas. Mas não têm culpa, eu é que não tenho muito jeito para a coisa e elas, infelizmente, não sabem falar. Se calhar ponho água a mais, ou a menos, ora têm muita luz, ora estão às escuras... Bem ou mal, são as sobreviventes cá do sítio. Lembrei-me entretanto que ainda tenho mais uma no corredor, tipo palmeira, que é uma santa (há umas semanas que não lhe tiro folhas mortas, o que só pode ser bom sinal). Estas ponho-as aqui ao pé da porta da varanda da sala e de dia abro os cortinados, diz que as plantas gostam de luz.

1- Alive desde a Páscoa, esteve quase quase a falecer durante as mudanças, mas agora está assim a modos que a ressuscitar, tem umas lindas folhinhas verdes novinhas em cima. Nas outras (as poucas que não secaram e não cortei) podem ver-se pintas brancas de tinta da cozinha (somos muito jeitosos nas pinturas).

2 - É nada mais nada menos que esta estrelícia-to-be. Agora que reli o post que escrevi em Abril até me deu vontade de rir. Um ano até nascer a dita?! Ahahahah... Deve ser mais uma década, ao ritmo que a coisa vai.

3 - A outrora linda plantinha que recebemos no casamento da Selma. Raquítica que só ela, não sei mais que lhe faça. Eu bem lhe tiro as folhinhas mortas e ponho água, mas ela em vez de crescer, diminui.

4 - O manjericão! Dos três vasinhos que comprei, só o manjericão sobreviveu e está cada vez maior. A salsa e os coentros quinaram logo após 2 dias.

5 - Esta só cá está há uma semana, ainda não sabe muito bem o prazer que é viver nesta casa e ser cuidada por mim :) Vamos ver quanto tempo aguenta.

Percebemos que a coisa é séria quando damos por nós a escrever um post sobre as plantas. Por isso, se não ouvirem de mim nos próximos dias, já sabem: fui internada.

2 feelings:

Raquel Úria disse...

Débora, não te quero desanimar (até porque seria difícil, pareces sempre bem disposta!) mas os meus pais passaram a lua de mel na Madeira, trouxeram 2 estrelícias em plantinha como a que tens e floriram pela primeira vez passados 18 anos. Sim, sim, 18 anos. Mas são lindas, estão enormes e agora têm flores com frequência - já lá vão outros 14 anos entretanto.



Débora disse...

Sério?! 18 anos?! Eu a pensar que uma década já era exagerar... Já agora, os teus pais tinham/têm a planta dentro de casa ou num jardim? Eu não sei se será possível tê-las assim, num vaso.
Quanto à boa disposição, tenho os meus dias, como toda a gente. Também tenho o meu lado lunar ;)



Enviar um comentário