3 de março de 2013

(Des)aprender.

"Os filhos deviam vir com manual de instruções" - disse-me o meu pai inúmeras vezes e eu, agora, concordo. Acontece que não vêm e se a experiência dos outros pode ser útil em alguns casos, noutros de pouco ou nada me serve. Cada criança é um caso e temos que fazer o que nos manda o coração, em cada um deles, por pouco adequado que às vezes possa parecer.
A Matilde largou a chucha pouco depois de fazer dois anos. Proporcionou-se assim e nós aproveitámos. Ela tinha ido passar a noite a casa da avó e, por esquecimento nosso, quando chegou a hora de dormir não havia chucha. A minha sogra inventou uma história qualquer, sobre um rato que tinha comido a chucha dela e ela adormeceu sem dramas. Chegada a casa, quisemos aproveitar a deixa. Guardámos todas as chuchas e dissemos-lhe o mesmo: "o rato maroto comeu a tua chucha!". Não chorou, não fez birras. Nas primeiras noites repetiu o mantra "o rato comeu a minha chucha, oh... que chatice!" vezes sem conta até adormecer e depois passou. MAS, passados dois meses, descobriu o dedo. Começou sem darmos conta e quando estava com sono ou depois de chorar, lá ia o dedo parar à boca (a técnica de trocar a chucha ou o dedo por um "amiguinho" estava fora de questão porque ela já usava um "amiguinho" desde que nasceu). Começou a adormecer sempre assim e pronto, instalou-se o vício. Não chuchava durante o dia, a não ser que estivesse mais "carente", mas mesmo assim começámos a notar que estava a acontecer o que já tinha lido: os dentinhos de cima estavam a vir para fora e os de baixo a ir para dentro. A distancia entre os dentes de cima e os de baixo está bastante maior que há vários meses atrás.
Tentámos fazer com que deixasse de chuchar com os argumentos habituais: "estás a ficar crescida, quem chucha no dedo são os bebés", "olha aqui, estás a ficar com os dentinhos todos tortos", "estás a ficar com dói-dói no dedo, não podes chuchar" e até apelámos ao lado vaidoso dela "assim não podes pintar as unhas, porque chuchas no dedo e ficam todas estragadas!", mas nada resultou.
Até que uma noite, depois de lhe lavar os dentes e voltar a reparar nos dentinhos dela, cedi: "Se a mamã te der uma chucha, prometes que não chuchas mais no dedo?" Os olhinhos dela até brilharam e respondeu-me: "Sim." Fui buscar uma chucha, dei-lha e até fiquei com o coração apertadinho, ao ver a ansiedade com que ela pegou nela e a meteu à boca. Deu meia volta e foi-se enfiar na cama, a segurar na chucha com as duas mãos. Combinámos que a chucha era SÓ para dormir, que não sairia do quarto e que, para falar, se tira a chucha da boca. Quando lhe dei um beijinho de boa noite, tirou a chucha: "Gosto MUITO de ti, mamã!" mesmo em tom de quem diz "Obrigada!".


Não sei se o que fiz foi correcto ou não. Quando perguntei à médica se achava que lhe deveria voltar a dar a chucha a resposta foi curta: "não". Talvez tenha sido "andar para trás" e sinto-me um bocado culpada por isso. Quando outras pessoas reparam que ela voltou a usar a chucha de noite desfaço-me em 1001 justificações. Mas fiz o que o coração mandou. Nunca mais voltou a chuchar no dedo enquanto está connosco (na escola parece que o faz um bocadinho, para dormir a sesta) e, se nos primeiros dias fez algumas birras porque queria andar com ela durante o dia, tais eram as saudades, agora já está bem claro que a chucha é para dormir. Tanto que quando tem sono, em vez de se encostar a chuchar no dedo como fazia, diz-nos que quer ir para a cama dormir e pôr a chucha. Honestamente, prefiro que ela chuche de noite na chucha, que várias vezes ao dia, no dedo. Quero acreditar que quando chegar a hora ela vai deixar de a querer, sem que para isso compense com o dedo... a ver vamos! :)

6 feelings:

Daniela disse...

Decidir com o coração. Esta tudo dito. Quando menos esperares ela cresce e lá se vai a chucha ;)



ce. disse...

A minha filha tem 5 anos e ainda mama chupeta.
Nunca vi ninguém casar e mamar chupeta.Até lá, espero que a deixe...


Fizeste o que o teu coração mandou, e quando é assim é porque é a decisão correcta

bjs



Betty disse...

Olá,
Não vou dizer que estás errada porque não me cabe a mim julgar-te. Mas trocas-te o dedo pela chucha e o resultado vai ser o mesmo porque está provado que os meninos que usam chupeta, biberões e dedo o resultado para os dentes vai ser o mesmo.
Bjs



Débora disse...

A diferença é que chucha muito menos tempo por dia. E desabitua-se do dedo. É que a chucha posso tirar-lha mais tarde, o dedo não.



Ana Rute Cavaco disse...

O dedo também se tira, com o tempo...A Maria chuchava no dedo.



..carlix.. disse...

O mundo materno dos "ses". :)

Pessoalmente, não me parece que vá ficar com dentes tortos só por usar chucha de noite... penso eu na minha ignorância. Voltimeia tento ver a reacção do M quando o deixo muito tempo durante o dia sem ela... ele vai logo à procura ou pergunta por ela. De noite nem pensar em estar sem... mas a tua é mais velha, já tem outros hábitos e rotina. Sou um bocado torcida com crianças em idade pré-escolar que ainda usam chucha. Não concordo mas não sei o que me espera com os meus. Sempre ouvi dizer que os médicos são contra muita coisa que vejo mães fazerem seguidas pelo seu instinto. Assim como já vi médicos (e pessoas) insistirem com coisas que muitas mães acham desapropriado ou cedo demais dar/fazer. É bem provável que algumas coisas voltem por causa do mano bebé...



Enviar um comentário