12 de fevereiro de 2013

O tal amor, que se multiplica.



Às vésperas de o Gonçalo nascer sentia o coração apertadinho, num misto de ansiedade por o ter nos braços e de culpa e receio por estar prestes a chegar um bebé que iria "roubar" parte da atenção que até então tinha sido toda para a irmã.
Logo depois de ele nascer, foram algumas horas de grande ansiedade à espera que ela chegasse com o pai, para ver a reacção quando visse o mano pela primeira vez. Foi exactamente o que eu estava à espera: a um momento inicial de vergonha e "encolhimento" no colo do pai perante o novo elemento, seguiram-se vários momentos de beijinhos, festinhas e "gosto dele!". Está constantemente de roda do mano, a ver o que se passa e a enchê-lo de beijos.
Apesar de saber que um irmão só tornará a vida dela mais rica, às vezes ainda me assalta a culpa, quando quero estar com os dois ao mesmo tempo e não posso... Mas as palavras deste livro não podiam explicar melhor o que sinto: o coração cheio de amor! É incrível como pode haver tanto amor cá dentro e gostar tanto de duas pessoas pequeninas ao mesmo tempo. Estou a cada dia mais apaixonada pelos meus bebés! :)

3 feelings:

Ombemua - Saoirse disse...

Que foto mais linda.
Felicidade para todos. Ela vai adorar ter o irmão por perto.

xi



Amura Design disse...

Lindos ! muitas felicidades !



Lúcia Silva disse...

É lindo o teu bebé, aliás os dois bebés :) é sempre uma alegria ver dois irmãos juntos. O nosso amor de mãe chega para todos, temos um coração enorme onde cabe tudo e todos, mas os nossos filhos são os nossos filhos.

Por vezes sinto o mesmo... nunca consigo dar atenção às duas, à casa, ao blog :) é muito complicado, mas tudo se consegue a seu tempo.

Beijinhos



Enviar um comentário