13 de junho de 2012

Tudo serve para alguma coisa. Eventualmente.

De há uns anos para cá, ganhei o péssimo hábito de guardar tudo. Antes de deitar fora, imagino se pode servir para alguma coisa. Se a resposta for sim, guardo. Até posso nem ter imaginado nada em concreto ou até algo sem sentido, mas guardo na mesma. De tal forma que tenho aqui gavetas cheias de coisas que tenho intenção de usar um dia. Só não sei é quando nem em quê. Há tempos uma amiga dizia que viu num programa de televisão que tudo o que não usamos há mais de 2 anos (ou eram 3?) não nos faz falta e deve ser doado ou deitado fora. Eu já pensei nisso algumas vezes... se fosse por aí poderia desfazer-me de 1/3 do que existe em minha casa, no mínimo. E de alguns móveis também, já que deixaria de precisar deles. Adiante.


Esta conversa toda para dizer que uma das coisas que guardo, são as fitinhas estreitas que vêm na roupa para pendurar nas cruzetas (que eu sou uma mulher do Norte). Estas mesmas fitinhas, são vendidas nas retrosarias a metro. Não são propriamente caras, mas no poupar é que está o ganho e são mesmo jeitosas para pequenos apontamentos :)



 

5 feelings:

Raquel Úria disse...

Também guardo sempre essas fitinhas! :) No meu caso, a pensar nos ovos coloridos para pendurar. :)

( http://ervacidreira.blogspot.pt/2012/03/como-gasto-o-tempo-que-nao-tenho.html )



Débora disse...

:)



Paula M disse...

Bom aproveitamento, dessa nunca me tinha lembrado...



Paula disse...

Boas ideias. Para o que também guardo!
vidademulheraos40.blogspot.com



Maria disse...

Adoro a última bolsinha!
E com a fitinha é bem mais prática de abrir!
Beijinho :)*



Enviar um comentário