7 de julho de 2011

...

Estas férias voltei a ler. Há alguns anos que não lia um livro do princípio ao fim e já tinha saudades. Em casa da minha mãe encontrei um livro da Danielle Steel já com alguns anos e, ao ler algumas páginas, prendeu-me a atenção. Já não me lembrava o que era começar a ler um livro e não conseguir parar enquanto não chegasse ao final. O livro era bastante forte, sobretudo nos primeiros capítulos e retratava a vida de uma menina pequena, que foi brutalmente espancada pela mãe, ao longo dos seus primeiros 9 anos de vida, até o pai fugir com outra mulher e a mãe a abandonar num convento, para casar com outro homem. Por esta altura, todas as suas costelas já tinham sido partidas mais que uma vez e estava quase surda de um ouvido, devido a uma das pancadas. Já tinha ido parar várias vezes ao Hospital, mas a causa era sempre algum "acidente", como a queda de umas escadas. A mãe dizia que era para a disciplinar e, caso não tivesse sido abandonada, muito provavelmente teria acabado por morrer numa das tareias.


Enquanto lia os relatos dos espancamentos, com uma filha pequena, eu só pensava "Como é que alguém pode ser capaz de bater e pontapear alguém daquela forma? Quanto mais uma criança que não sabe nem pode defender-se? Como é que alguém é capaz de acordar uma criança a meio da noite e fazer dela um saco de pancada, só porque o dia correu mal ou discutiu com o marido?"
Por várias vezes tive que parar de ler para me distrair, mas o facto de saber que isto acontece todos os dias a tantas crianças que não têm ninguém que as proteja... aperta-me o coração.

8 feelings:

Dina disse...

Estes casos revoltam-me tanto! E há mais do que imaginamos. E ainda me dizem que não posso dizer que há mulheres que nunca deviam ser mães...
Já agora, qual é o título do livro?



..carlix.. disse...

Esse tipo de coisas também me faz imensa confusão. Não só a questão do bater/espancar mas o de violar uma criança pequenina! Sinto o raciocínio bloquear, porque não consigo sequer imaginar...
Menos agressivo, mas igualmente forte é o livro da Fátima Lopes "Um pequeno grade amor", fala sobre divórcio e o drama de uma mãe que lutou (durante mais de 10 anos)contra a maldade de um ex-marido que tentava "envenenar" o filho contra ela. Levei 3 dias a ler tudo. Estava sempre a parar e a imaginar as situações. É uma sugestão de leitura, para ti.



mãe pimpolha disse...

Eu não consigo lêr desde que o meu rapaz nasceu e agora ainda menos, que até para adormecer à noite é uma tourada.
vou ali chorar e já venho.
Beijocas



Ana disse...

Pior mesmo é passar por isso até à adolescência e quando se pede ajuda à autoridade temos um gnr que nos diz:"Quando for assim finge que estás a dormir, é que ainda não tens idade para sair de casa e vais fazer o quê?"...

Tantas histórias que davam livros ainda estão por contar...

A realidade é dura e como mãe que sou hoje pergunto-me como é que alguém que deveria automaticamente amar um filho pode ser tão mau...



Débora disse...

Dina, o livro chama-se "Um Longo Caminho para Casa".

Ana, infelizmente são mais os casos que existem do que os que são conhecidos. E os que chegam ao nosso conhecimento, geralmente é porque já é tarde :( Resta-nos ser diferentes.



Rute disse...

Olá,
infelizmente existem casos desses todos dias, não sei como é que alguém tem coragem de fazer mal a uma criança...mais valia não serem pais ou mães...



Ana disse...

É verdade Débora que imensos casos ainda estão por ser revelados, mas verdade é que aquela criança é hoje um/a adulto/a com marcas e carências que NUNCA irão passar...
Resta conseguir ser uma mãe/pai diferente daqueles que nos trataram de tal forma...



joana disse...

A crueldade é algo inexplicável.



Enviar um comentário