23 de novembro de 2010

Sobre o ser do sexo oposto que vive cá em casa.

Há uns tempos comprei umas pastilhas para a máquina da loiça diferentes das habituais. Ambas são marca branca, mas as antigas tinham um invólucro solúvel e estas não. O invólucro é nitidamente diferente, quer ao toque, quer no aspecto: um é esponjoso e liso, o outro é de um plástico que faz barulho e tem letras. Ou seja, obviamente que se tem que cumprir o elaborado procedimento na íntegra que consiste em (muita atenção) desembrulhar a pastilha!!
Escusado será dizer que encontrei pastilhas dentro do pacotinho, no fundo da máquina, umas poucas de vezes até perceber que não tinham caído ali sem querer...

3 feelings:

Raquel Úria disse...

Isso é tão típico! Se bem que o ser do sexo oposto que vive em minha casa nem sequer deve saber ligar a máquina, quanto mais saber o que são pastilhas para lavar a loiça.



Sofia disse...

a 1ª vez que ligamos a máquina de lavar a loiça, o ser do sexo oposto pôs a máquina a lavar sem detergente lá dentro.
ah! e depois culpou-me por a loiça ter ficado suja. quando descobri o porquê disso ter acontecido levou uma raspanete!



Fabi disse...

é...eles são seres, sem dúvida, esquisitos.



Enviar um comentário