25 de abril de 2010

Como enganar uma criança.


Depois de estar há uma hora a andar de uma ponta da casa para a outra (longa distância de 10 passos) para pôr a chucha na boca da Matilde, ficar a segurar até ela adormecer (30 segundos), vir embora e ouvi-la a chorar passados 5 minutos, tive uma ideia maravilhosa. Meti-lhe a chucha pela vigésima vez, peguei na minha almofada e encostei-lha ao nariz - faz de conta que estou aqui. Remédio santo. Ou foi uma grande coincidência, ou a miúda é pequenina mas já tem manha! Temos pena, filha.

1-0, ganho eu.

5 feelings:

Flávia Leitão disse...

Olá!
Primeiro deixa dizer que ela está lindíssima!
Depois...prepara-te! Ter um filho é a experiência mais "animalesca" das nossas existências de século XXI!! E se estiveres a amamentar ainda mais!
Ela conhece e reconhece o teu cheiro, à distância, literalmente!
O Gus, assim que eu chegava ao pé dele começava a fazer uns ruídos de porquinho, e quando o pegava cheirava-me toda, uma delícia!
Dava conta sempre que eu entrava no quarto para ir dormir e acordava!
Mas, só dormia bem enquanto eu não estava, e mamava de 2 em 2 horas! (que saudades! lolol)
Essa dependência visceral tem um encanto particular, e deixa-nos muito babadas!
Quando ela começar a ganhar independência, vai reconhecer-te de outro modo e dar-te mimos, e é uma delicia!
Dá muito beijos nessa menina linda!



Débora disse...

Obrigada :) Muitos beijinhos ao Gus tb!***



stories behind objects disse...

:D



Ana Rute Oliveira Cavaco disse...

podes enrolar uma toalha de bidé, foi sempre o que fiz...



Débora disse...

Sim Rute, eu costumo enrolar uma fralda de pano e encostar ao nariz para a chucha não cair... mas n estava a resultar. A ideia era algo com o meu cheiro... se foi coincidência ou não, já não sei, mas resultou :)



Enviar um comentário