20 de fevereiro de 2009

Pandora

Desde que vi uma Pandora pela primeira vez que quero uma. Mas o meu lado racional diz-me sempre que é um luxo, e que ainda por cima está sobrevalorizado, porque é prata... e não vale o que vale. E assim fico, durante mais algumas semanas, enquanto não volto a ver publicidade ou a passar por uma loja. Ai, que no Vasco da Gama tem uma com tantas peças lindas e fofinhas!

Enquanto me vou convencendo que não quero, que é só impressão minha, descubro que no Centro de Saúde onde estou a dar consultas toda a gente anda de roda da Pandora. E repito para comigo... "Débora, pensa lá... não vale o que vale...". E a vida continua, sem a Pandora.

Mas de repente, na blogosfera, dou de caras com isto! E tenho estado aqui nas últimas horas, a escolher, a pôr e a tirar, a puxar para aqui e para acolá... Não resisti e construí a minha pulseira virtual. Cada pecinha tem o seu significado (como é suposto). Se fosse real, custaria a módica quantia de 417€. Mas o orçamento não dá para mais e por enquanto é virtual... que já dá para adoçar o bico. Para sonhar ainda não se paga, né? ;)

3 feelings:

Tabi disse...

Realmente a Pandora é irresítivel ;)

Bjinho,

Tabi



Tabi disse...

*irresistível



Diana disse...

Hum cheira-me k o menino bruno ja ai tem uma boa prenda k te podia oferecer;:)



Enviar um comentário