21 de fevereiro de 2008

O lápis que queria ser anónimo.

Era uma vez um lápis que, como todos os lápis, tinha nascido para escrever. Como queria escrever o que bem lhe apetecesse sem dar satisfações a ninguém, este dizia que não queria ser conhecido, ao contrário dos lápis mais ambiciosos. "Quero ser anónimo!", dizia ele. Dizia!...

Porque neste momento, o Grande Lápis Morto, é tudo menos anónimo. Mas continua a acreditar que sim... :) Abram lá o caderno e deem uma espreitadela!

0 feelings:

Enviar um comentário